domingo, 25 de fevereiro de 2018

VÍDEO - Polícia abre inquérito após criança filmar irmã de 7 meses sendo agredida por babá



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: G1 Imagem: Divulgação

A Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI) de Itajaí investiga o caso de uma babá que foi gravada agredindo uma menina de sete meses. O irmão da criança, de 12 anos, filmou a mulher dando uma bofetada no rosto da vítima. 
Continua depois da publicidade
A babá deve ser ouvida até sexta (23) e, se não for localizada, pode ter a prisão preventiva pedida pela Polícia Civil. De acordo com o delegado Ricardo Labes Ferreira, a polícia apura o crime de tortura, que não causa lesão aparente, mas dor física e sofrimento mental.
O caso ocorreu na última sexta (16), quando o garoto saiu para comprar suco a pedido da babá e deixou o celular gravando.
“Ele ficou desconfiado de que o bebê estivesse sendo agredido, porque ouviu um barulho estranho e questionou a babá, que desconversou. A mãe o orientou para que ficasse por perto, então, quando a mulher o mandou às compras, decidiu filmar”, explicou.
Procurada, a mãe da vítima pediu para não ser identificada e disse que preferia não comentar o caso, mas cedeu as imagens. A gravação mostra a babá agredindo a criança, enquanto tenta alimentá-la. A menina cai deitada na cama com a força da agressão.
Conforme o delegado, a mulher foi vizinha da família e, como estava desempregada e se dava bem com a bebê, foi contratada para tomar conta dela de 22 de janeiro a 14 de fevereiro.
“A bebê foi submetida a exame de corpo delito, mas já havia se passado quatro dias da agressão, então, não havia lesão aparente. Estamos apurando um caso de tortura, que causa não só dor física como mental”, afirmou.
Conforme o delegado, o inquérito deve ser concluído em até dez dias. 
Assista aqui o vídeo.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário