sábado, 29 de fevereiro de 2020

LAVANDERIA LK - PRUDENTÓPOLIS/PR

SUAS ROUPAS ESTÃO SUJAS? NÓS LAVAMOS E CUIDAMOS PARA VOCÊ!!!
CHEGA DE LAVAR SUAS ROUPAS EM CASA.
LAVANDERIA LK  TE OFERECE LAVAGEM DE:
- A SECO; 
- DE ESTOFADOS; 
- DE CORTINAS;
- TAPETES;
- ROUPAS;
- EDREDONS;
- COBERTORES; 
NÓS LAVAMOS, SECAMOS E PASSAMOS E AINDA VAMOS BUSCAR E ENTREGAMOS NA SUA CASA
FONE: (42) 3446-5029 - 9 9901-2717
R. XII DE AGOSTO, 671
PRUDENTÓPOLIS - PARANÁ

Previsão do tempo para Prudentópolis

By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: INTERVALO DA NOTICIAS Imagem: Élio Kohut (Intervalo da Noticias)
 
Confira a previsão do tempo para Prudentópolis, conforme o jornal do Tempo.
A previsão poderá mudar a qualquer momento. Confira aqui mais detalhes.
Continua depois da publicidade
Sábado: Predomínio de sol, apenas com pouca variação de nuvens: 14 ºC a 29 ºC
Domingo: Sol, alternando com chuva em forma de pancada rápida e isolada: 5mm (tarde): 15 ºC a 25 ºC
OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Operadora é condenada a indenizar consumidor por golpe do WhatsApp clonado


By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: PORTAL BEM PARANA Imagem: Divulgação

A Terceira Turma Recursal dos Juizados Especiais do Paraná condenou empresa de telefonia em indenização por danos materiais no valor de R$ 6.500,00 e por danos morais no valor de R$ 15.000,00, em função da clonagem do WhatsApp do consumidor.
O consumidor possuía a linha de telefone celular há mais de vinte anos. Sempre se utilizou do número para suas atribuições profissionais e pessoais e de uma hora para outra o telefone ficou mudo. Imediatamente, entrou em contato com a central de atendimento da operadora onde foi informado que provavelmente seu chip teria sido “queimado” e foi orientado a se dirigir a uma loja da operadora para apanhar um novo chip com o mesmo número.
Continua depois da publicidade 
Seu telefone voltou a funcionar, mas o aplicativo do WhatsApp estava desabilitado e quando o autor tentava reinstalar, não conseguia, pois o sistema exigia dele uma senha que havia sido implantada pelos fraudadores. Logo em seguida, o autor começou a receber ligações de seus amigos questionando-o se ele estava precisando mesmo de dinheiro. Foi então, finalmente, que descobriu que seu telefone havia sido clonado.
De acordo com o advogado do autor, Halissom Dias do Nascimento, do escritório Cardoso & Nascimento Sociedade de Advogados, os fraudadores se utilizaram do aplicativo WhatsApp do consumidor para aplicar golpes financeiros junto aos seus contatos. “Como o telefone do autor estava mudo, seus contatos não conseguiam falar com ele. Somente o fraudador conseguia se comunicar via WhatsApp e com isso, após fazerem vários contatos, finalmente conseguiram obter êxito, se aproveitando da boa-fé de um dos amigos do autor que caiu no golpe depositando na conta do fraudador a quantia de R$ 6.500,00”, conta o advogado.
De acordo com o juiz relator, Marco Vinícius Schiebel, da Terceira Turma Recursal dos Juizados Especiais do Paraná, “é patente a negligência da prestadora de serviço, vez que ao deixar de proceder com diligência ao investir financeiramente e tecnicamente em medidas de segurança visando evitar a ocorrência de fraudes como a do presente caso, coloca em risco seus clientes e usuários e se torna, portanto, responsável pelos danos por eles experimentados em virtude da falha na prestação do serviço”.
Continua depois da publicidade
“Cabia à operadora telefônica proceder com a solução do problema, quanto mais quando obtêm lucro em detrimento de serviço não prestado de forma adequada e contínua, vislumbrando enriquecimento ilícito, pois se abstém de solucionar os motivos técnicos e humanos que deram origem à falha e ainda, deixa de investir em medidas de segurança que evitem a reincidência de casos análogos”, argumenta o juiz relator.
Ainda de acordo com o magistrado, sendo o consumidor privado da utilização com regularidade e excelência de serviço essencial de comunicação e verificada sua patente vulnerabilidade, principalmente frente às empresas de grande porte, resta evidenciado o dever de indenizar, pois ultrapassa o mero dissabor cotidiano, já que é inconcebível que o consumidor seja privado da utilização do serviço sem que a prestadora de serviços tenha tomado as providências necessárias.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Pai faz transplante de fígado para filho de um ano no Paraná


By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: PARANA PORTAL Imagem: Divulgação

O vínculo entre pai e filho começa antes mesmo do nascimento, mas uma dupla de Foz do Iguaçu, região oeste do Paraná, ampliou essa ligação.
Vitor Fernando Wagner, de 19 anos, e Mathias Fernandez Baião Wagner, de um ano e dois meses, realizaram o primeiro transplante pediátrico de fígado dos últimos cinco anos no Paraná. Mathias foi diagnosticado com problemas no órgão desde os primeiros dias de vida e Vitor auxiliou o filho a ter maior qualidade de vida.
Continua depois da publicidade
“É o papel do pai, a gente sempre quer ver o filho melhor e aí faz de tudo”, explicou Vitor, que viu Mathias receber alta nesta quarta-feira (19). A cirurgia foi realizado pelo SUS (Sistema Único de Saúde) no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba.
“Foi um ano de caminhada até o transplante. Mas a cirurgia foi bem sucedida e fico muito feliz em saber que mais crianças terão a mesma oportunidade que o Mathias”, explicou Josefina Diaz Fernandez Baião, avó materna de Mathias.
Mas não será apenas Mathias que terá a chance de maior qualidade de vida. A expectativa é que o Pequeno Príncipe realize mais dez cirurgias desse tipo até o final do ano, tendo a prioridade para crianças com até dez anos de idade. “Já temos sete pacientes com indicação para o transplante hepático”, pontuou a responsável técnica pelo Serviço e cirurgiã pediátrica, Giovana Camargo de Almeida.
NOVA ESTRUTURA SEGUE PADRÕES INTERNACIONAIS
A equipe criada pelo Pequeno Príncipe conta com 22 profissionais entre cirurgiões, hepatologistas, anestesistas, intensivistas, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, psicólogos e assistentes sociais, seguindo os padrões internacionais para procedimentos desse tipo.
“Mas sabemos que os pacientes brasileiros têm uma condição social nem sempre tão favorável, quando comparado aos norte-americanos, por exemplo.
Continua depois da publicidade 
Por isso, precisamos fazer um trabalho bastante cuidadoso e amplo, para assegurar que no pós-operatório esse paciente tenha condições de se recuperar em um ambiente adequado”, finalizou Camargo de Almeida.
Durante o período em que nenhum hospital do estado reunia estrutura para realizar esses transplantes, o Paraná encaminhava seus pacientes pediátricos para cirurgias em São Paulo e Rio Grande do Sul, por meio do SET/PR (Sistema Estadual de Transplantes).
Considerando todos os transplantes de órgãos, a fila de espera no Paraná é de 25 crianças, sendo que apenas uma tem menos de cinco anos. No último ano foram realizadas 14 cirurgias desse tipo (com exceção de fígado) entre a faixa etária de zero a 18 anos.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE