sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Confira como estão os clubes para largada do Paranaense 2015



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: RPC TV Imagem: Divulgalção

O Campeonato Paranaense começa neste sábado a sua 101ª edição marcado pela rivalidade entre interior e capital. Com a final de 2014 de Londrina e Maringá, e vitória do primeiro, as equipes consideradas menores sentiram o sabor de quebrar a hegemonia do Coritiba, que havia vencido quatro edições seguidas, além de Atlético-PR, sempre com lugar entre os primeiros, e Paraná Clube, pentacampeão na década de 90.
O formato do campeonato é igual ao de 2014, com quatro fases. Na primeira, os 12 times jogam entre si em turno único, e os oito mais bem classificados entram no formato de mata-mata, com quartas, semi e final. Os quatro piores da primeira fase jogam o torneio da morte, e dois deles caem para a divisão de acesso do Paranaense.
A novidade é a estreia do FC Cascavel na primeira divisão. O clube foi fundado em 2008 e campeão da segundona em 2014. Do oeste do estado, o Foz volta após herdar a vaga do Arapongas, que desistiu do campeonato por razões financeiras. A equipe precisou correr para montar um grupo e surpreendeu com uma parceria com o Atlético-PR para se reforçar e contratou o goleiro Edson Bastos, tetracampeão pelo Coritiba.
Confira abaixo o que cada time espera para o estadual.
Atlético:
Pelo terceiro ano seguido, o Atlético-PR vai disputar o Campeonato Paranaense com a equipe sub-23. Enquanto o elenco principal realiza parte da pré-temporada na Espanha, o Rubro-Negro vai para o estadual com os garotos, que enfrentam o campeonato como um vestibular para chamar a atenção do técnico Claudinei Oliveira e conseguir uma vaga no grupo de cima.
Mas os meninos do Furacão não fazem apenas figuração no estadual. Desde 2013, chegaram a uma final contra o Coritiba e, no ano passado, caíram na semifinal para o campeão Londrina. O título não é obrigação, mas uma taça seria bem-vinda ao clube, que não vence o Paranaense desde 2009.
O Furacão será comandado pelo técnico Marcelo Vilhena, coordenador das categorias de formação do clube e auxiliar de Claudinei Oliveira no último Brasileiro. Ele terá alguns jogadores mais experientes, como o goleiro Lucas Macanhan, o zagueiro Ricardo Silva, o volante Matteus, os meias Marco Damasceno e Zé Paulo e o atacante Pedro Paulo, que treinaram com o grupo principal durante o segundo semestre do ano passado. O destaque é o atacante Crysan, artilheiro na Copa São Paulo de Futebol Júnior.
- É uma equipe jovem, mas com muito potencial. Acreditamos que, além de fazer uma boa competição, vai trazer bons resultados para a nossa equipe principal – confia Vilhena.
A estreia será no domingo contra o Cascavel, na casa do adversário. O time-base do Furacão é: Alexandre; Mario Sérgio, Ricardo Silva, Lula e Sidcley; Matteus, Guilherme Batata (Jonatan Lucca), Gustavo Marmentini (Zé Paulo) e Bruno Pelissari; Pedro Paulo e Junior Barros (Crysan).
Cascavel:
Foto: Fabrício Golyjewsky/ Rádio Colmeia
O FC Cascavel é o novato do Paranaense. Fundado em 2008 pelo pentacampeão mundial Beletti, a Serpente esteve próxima do fim em 2012, após desistir de disputar a divisão de acesso do estadual. Porém, após ser vendido, o clube se reergueu e conquistou o direito de disputar a elite ao ser campeão da segunda divisão do Paranaense em 2014, ao vencer o Nacional por 2 a 1.
O Cascavel é comandado pelo técnico Paulo Foiani, contratado em junho do ano passado após passagens por Operário-PR, Toledo e Marcílio Dias (clube pelo qual foi campeão da segunda divisão do Catarinense em 2013). Apostou na manutenção de parte do time para a disputa do Paranaense e teve o reforço dos zagueiros Alessandro Lopes e Rodrigo Bronzatti, os laterais-esquerdos Marquinhos e Maurin, o lateral-direito Márcio Gabriel, os volantes Cléber e Anderson Rosa, o meia Renan Tavares e o atacante Henrique Dias.
- A expectativa é sempre positiva. Montamos um elenco com perspectivas de fazer uma bela competição. Sabemos que os outros clubes têm tradição, podemos dizer que somos calouros, mas temos intenção de fazer boas apresentações. Nosso objetivo principal é permanecer na primeira divisão e, após isso, sonhar com voos mais altos, como, por exemplo, brigar pelo título do interior – disse o técnico Paulo Foiani.
Durante a pré-temporada, a equipe perdeu por 2 a 0, em amistoso com o União Frederiquense, e empatou por 1 a 1 com o Grêmio.
O time base do FC Cascavel, que estreia contra o Atlético-PR, é formado por Vinicius, Alex, Cristian, Maurício e Marquinhos; Duda, Sorbara, Everton, Henrique Dias e Toni; Willian.
Coritiba:
Tetracampeão entre 2010 e 2013, o Coritiba volta a se concentrar no Campeonato Paranaense após utilizar uma equipe de base no início do campeonato em 2014 e não conseguir ritmo no decorrer do torneio mesmo com Alex e cia. O time caiu para o Maringá na semifinal e mudou o discurso para 2015. 
A ordem é jogar para chegar à final. O técnico Marquinhos Santos indicou que deve fazer testes com o grupo no início do campeonato, mas a base será o novo Coritiba que foi formatado na pré-temporada com os reforços de Alan Santos, Cáceres, Pedro Ken, Giva e Mazinho, Negueba, Rodolfo, além de manter nomes como Rosinei e Hélder.  
Pelos jogos-treinos contra RB Brasil (derrota por 2 a 0) e Audax-SP (empate por 2 a 2), uma base do Coxa para a temporada de 2015 tem, no 4-3-3, Vaná; Ivan, Luccas Claro, Leandro Almeida (Bonfim) e Carlinhos; João Paulo, Rosinei e Pedro Ken; Mazinho, Negueba e Rafhael Lucas. O comandante alviverde analisa o novo Coritiba e pede calma neste momento de construção.
- Sabemos que a cobrança, valendo três pontos, é forte, e vamos colocar aqueles que estiverem em melhores condições, até para que eles tenham oportunidade e possam corresponder.  
O Coritiba estreia no Paranaense no sábado contra o Nacional, em Rolândia.
Foz do Iguaçu:
O Foz do Iguaçu precisou correr contra o tempo para participar do Paranaense. O Azulão ganhou o direito de disputar a primeira divisão após a desistência do Arapongas, por dificuldades financeiras. Terceiro colocado na Divisão de Acesso em 2014, a equipe do oeste paranaense volta a disputar a elite após seis anos.
Em campo, o time do técnico Edson Borges conta com caras novas e um especialista em Paranaense, o experiente goleiro Edson Bastos. Natural de Foz do Iguaçu, ele marcou sua carreira no Coxa entre 2007 e 2012, quando foi tetracampeão paranaense e fez mais de 200 jogos. 
Do elenco que disputou a temporada 2014, permaneceram na equipe o volante Baiano e os atacantes Tiago Henrique e Edson o meia Safira. Formado por jogadores da base, com baixa idade, o Foz ainda tem o reforço de jogadores do Atlético-PR.
Durante a pré-temporada, o Foz venceu o Cascavel por 2 a 0, com gols marcados pelo atacante Tiago Henrique, em amistoso realizado no Estádio do ABC, e venceu o Cerro Porteño, do Paraguai, no último domingo.
- Montamos um elenco com jogadores com passagens pelo futebol brasileiro, com experiência no próprio futebol paranaense. Fico muito feliz com minha volta, porque a diretoria soube o trabalho que fiz aqui - completou o treinador Edson Borges.
O time-base do Foz que estreia contra o Londrina, no domingo, na casa do adversário, é formado por Edson Bastos, Alex Travassos, Erwin, Jr Fell e Carlão; Cícero, Diego Perini, Maycon Canário, e Safira; Baiano e Tiago Henrique.
J Malucelli
Foto: Hedeson Alves/VIPCOMM
Depois de ser eliminado pelo Londrina nas quartas de final do Paranaense do ano passado, o JMalucelli tenta brigar entre os grandes da capital e surpreender na atual edição. De olho em uma vaga para a Série D e para a Copa do Brasil de 2016, a equipe será comandada pelo técnico Ary Marques, que chegou em novembro do ano passado.
Para 2015, o Jotinha conserva alguns jogadores remanescentes, mas conta com um bom número de novos contratados, como o goleiro Rodrigo Café, os meias Edu Amparo e Netinho, entre outros. Em relação ao Paranaense do ano passado, a equipe está equilibrada com a mescla de remanescentes e novos jogadores.
- A expectativa para o início do campeonato está sendo muito grande. Estamos trabalhando com a maior responsabilidade, pois durante toda a preparação focamos na necessidade da classificação entre os oito primeiros colocados. A primeira fase tem turno único, é muito rápido, por isso temos que focar, mesmo primeiramente, nessa classificação – disse Ary Marques.
Durante a pré-temporada, a equipe ficou em Curitiba e disputou três jogos-treinos: enfrentou duas vezes o Metropolitano-SC, vencendo por 2 a 1 e empatando por 1 a 1, e empatou sem gols com o Joinville.
O time base do Jotinha é formado por Fabrício; Felipe, Alex Fraga, Diego Alemão, Fabinho (Stefan); Camargo, Edu Amparo, Netinho, Ronaldo; Getterson (Bruno Batata) e Marquinhos.
Londrina:
(Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná)
Atual campeão paranaense, o Londrina manteve em 2015 a fórmula de manutenção da base que deu bons resultados nos últimos anos. O técnico Claudio Tencati completa em abril quatro anos à frente do Tubarão e tem nas mãos um elenco conhecido como o goleiro Vitor, o zagueiro Dirceu, o volante Diogo Roque e o meia Celsinho, que conquistaram o título estadual e também o acesso à Série C do Brasileiro. 
Além disso, boa parte dos reforços é de velhos conhecidos da torcida. Germano e os atacantes Wéverton e Neílson estão de volta depois de fazerem sucesso na disputa do Paranaense em 2013. E, após passagem pelo Flamengo, o artilheiro de 2014, Arthur, também está confirmado. Junto com eles foram contratados o experiente lateral-esquerdo Lino (ex-São Paulo, Fluminense e Porto), o meia Fabinho (ex-Santos-AP) e o atacante nigeriano Henry Kanu (ex-Icasa). 
Para o técnico Claudio Tencati, o Londrina entra no Paranaense em busca de dois objetivos: o bicampeonato e uma das vagas na Copa do Brasil. 
- Nós estamos vivendo a visão dos clubes da capital, que entram no Paranaense buscando o título. É uma coisa que construímos, mas não podemos dizer que estamos folgados – disse Tencati. 
A pré-temporada foi realizada em casa e começou no final de 2014. Em 2015, a equipe fez dois jogos-treinos com goleada sobre o Santacruzense-SP, por 4 a 1, e 3 a 0 sobre o PSTC. O Tubarão também bateu o Cruzeiro, atual campeão brasileiro, por 1 a 0, em amistoso realizado no Estádio do Café. 
A equipe-base para a estreia contra o Foz, no domingo, no estádio do Café, deve ser: Vítor; Lucas Ramon, Dirceu, Silvio e Allan Vieira; Germano, Bidia (Diogo Roque), Léo Maringá e Celsinho; Wéverton (Neílson) e Arthur.
Maringá
O Maringá entra no estadual de 2015 com a glória – e o peso - de uma ótima campanha em 2014. Vice-campeão em seu primeiro ano na elite e com destaques como o atacante Gabriel Barcos e o artilheiro do Paranaense, Cristiano, a missão de repetir o feito não é fácil, mas a intenção é mostrar que a Zebra não é cavalo paraguaio. 
A base da equipe foi mantida com sete jogadores que jogaram a final contra o Londrina, incluindo Barcos e o camisa 10, Max. Outros 13 foram contratados. A equipe do time do técnico Claudemir Sturion é: Ednaldo (Tadeu), Rhuan, Fabiano, Marcelo Xavier e Cristian; Zé Leandro, Serginho Paulista, Max e Danilo Rios; Gabriel Barcos e Rafael Santiago. 
Mesmo com a euforia causada pelo sucesso do time, o diretor de futebol Paulo Regini prega cautela e não promete título. No entanto, o clube visa estender a temporada com uma vaga na Série D e da Copa do Brasil.
- O Paranaense é um campeonato muito difícil, com poucos clubes e de tiro curto. Não podemos vacilar. O objetivo principal do Maringá é conquistar vagas para a Série D e Copa do Brasil, como fizemos no ano passado, mas entramos, também, para não cair. É claro que, se conseguirmos chegar à final e, quem sabe, erguer a taça, seria melhor ainda. 
O Maringá estreia em casa, no domingo, contra o Operário-PR. A equipe disputou quatro amistosos durante a pré-temporada e venceu todos.
Nacional:
Um dos recém-promovidos à elite estadual, o Nacional-PR manteve a base do ano passado. Vice-campeões da Divisão de Acesso, derrotados pelo Cascavel na finalíssima, o técnico Rafael Andrade e mais 12 jogadores, como Diego Fiúza, Tcharlles e Vieira, seguem no clube. O objetivo é conseguir uma vaga na Série D e a Copa do Brasil.  
O Nacional-PR venceu um adversário do estadual durante a pré-temporada: 2 a 1 no Prudentópolis. Nessa partida, o time teve Alex; Diego Fiúza, Humberto, Douglas e Welinton; Dodô, Nando, Neném e Lucas; Tcharlles e Vieira. Segundo Rafael Andrade, essa é a base para a disputa do Campeonato Paranaense de 2015.  
- Vamos ter uma equipe aguerrida, competitiva e que vai buscar o resultado em todas as partidas. O objetivo é conseguir uma vaga na Série D. O maior desafio para isso é que você joga contra equipes com maior estrutura. Mas vamos ser um grupo colaborativo, todos em busca de um sonho – afirmou o técnico de 33 anos, que tem passagem por equipes como Flamengo-SP, XV de Piracicaba e São Bento, CRAC e Catalão-GO.  
O Nacional-PR estreia em casa no Paranaense, no sábado, contra o Coritiba, em Rolândia.
Operário:
(Foto: Fábio Matavelli)
 O Operário-PR começa o Campeonato Paranaense tentando esquecer 2014, ano em que foi para o Torneio da Morte e quase foi rebaixado. O Fantasma, como é chamado pela torcida, vem renovado neste ano sem nenhum jogador da temporada passada e projetando ser protagonista do torneio.
O otimismo está ligado ao elenco e também a iniciativas financeiras, como o grupo Amigos do Operário, composto por 43 empresários de Ponta Grossa que gerenciam o time. O treinador, Itamar Schülle, que foi trazido do futebol gaúcho, participou da escolha de alguns nomes, como o zagueiro uruguaio Sosa, que jogou no futebol gaúcho. O elenco mescla atletas que vieram das Séries C e D do Campeonato Brasileiro. O presidente Laurival Pontarollo está otimista e arrisca que "este é o ano do Operário-PR". A meta do Fantasma é conquistar a tão sonhada vaga na Série D do nacional para manter um calendário durante o ano todo. 
- Neste ano tudo está bem diferente, as pessoas que estão envolvidas com o futebol são muito trabalhadoras. O time está em muito boas mãos.
O Operário-PR fez uma pré-temporada movimentada com vários jogos-treinos, na maior parte em Santa Catarina, onde enfrentou Marcilio Dias (derrota de 1 a 0), Guarani (vitória de 1 a 0) e times da Série A, como Figueirense (empate por 1 a 1) e Avaí (outro empate por 1 a 1). O último teste foi foi em casa, no Germano Krüger, quando empatou por 0 a 0 com o time sub-20 do Coritiba.
A estreia do Fantasma será no domingo contra o Maringá, no estádio Willie Davis, na casa do adversário.
Paraná Clube:
(Foto: Fernando Freire)
Colocar a casa em ordem e voltar a disputar um título são as metas do Paraná, que tenta atravessar uma crise que se arrasta há anos. O pentacampeão paranaense na década de 90 não sabe o que é levantar um título desde 2006 e, em meio a uma grande reformulação para aplacar a crise financeira, tenta voltar a brilhar com base no "bom e barato".
O Tricolor facilitou a saída de jogadores e reduziu a folha salarial pela metade. Nomes como Edson Sitta, Thiago Humberto, Giancarlo e Léo Mineiro saíram. Por outro lado, Bruninho, Rossi e Tosi chegaram. O novo time conta com Marcos; Ricardinho, Cleiton, Alef e Bruninho; Jean, Ricardo Conceição e Lucio Flavio; Rossi (Rubinho), Carlinhos e Rodrigo Tosi.  
Para superar a última campanha (eliminação para os garotos do Atlético-PR nas quartas de final), o Paraná versão 2015 aposta na mescla da experiência com a juventude. O técnico Luciano Gusso, que assume a equipe principal após trabalhar como auxiliar, conta com uma espinha dorsal de trintões: Marcos, Cleiton, Ricardo Conceição, Lucio Flavio e Rodrigo Tosi. O quinteto terá a missão de dar equilíbrio ao clube dentro e fora de campo.  
- São importantíssimos até para dar uma sustentabilidade para a equipe, um equilíbrio em muitos momentos não somente dentro do campo, mas fora também. Então, a importância deles é grande. Por isso que a gente conta com esses profissionais e talvez até com outros que possam vir - disse o treinador durante sua entrevista de apresentação.  
O Paraná inicia o campeonato na Vila Capanema, no sábado, no jogo contra o Prudentópolis.
Prudentópolis:
Campeão do interior de 2014, a expectativa do Prudentópolis é repetir a dose no Paranaense, mantendo parte da equipe e também o técnico Joel Preisner. Ele esteve na conquista da vaga na primeira divisão em 2013 e conduziu a campanha na temporada passada, ao lado do também técnico Ivair Cenci.  
Dos 24 jogadores do time que vão disputar o campeonato, 11 já eram do Prudentópolis e os outros 13 vieram de clubes do estado e de outras regiões do país. Entre eles, estão o meia Baiano, que estava no Operário-PR, e o atacante Sergião, que chegou do Grêmio de Bagé, do Rio Grande do Sul.  
- Fizemos um time humilde, com poucas condições financeiras no ano passado, e acabamos surpreendendo as pessoas que achavam não conseguiríamos chegar ao lugar em que chegamos. O objetivo é ir comendo pelas beiradas, como um mineirinho, para tentar fazer um bom campeonato – explica Preisner.
A pré-temporada começou na metade de novembro. O elenco foi testado em jogos-treinos contra o Nacional de Rolândia (derrota por 2 a 1) e o Metropolitano (empate por 0 a 0), em Santa Catarina, em dezembro. 
Misterioso, Preisner não revelou a equipe-base e se já tem os titulares para a estreia contra o Paraná, neste sábado, às 19h30, na Vila Capanema, em Curitiba.
Rio Branco:
O Rio Branco-PR terá um início de estadual cheio de pedreiras. Nas cinco primeiras rodadas, são dois jogos em casa. Um contra o Atlético-PR. Outro contra o atual campeão, o Londrina. O técnico Amauri Knevitz cita a sequência como um obstáculo a mais. Mas ele confia que, com um time forte e veloz, a equipe de Paranaguá vai conseguir pelo menos igualar a campanha do ano passado – quando caiu diante do Coritiba nas quartas de final.  
A equipe foi formada por várias peneiras realizadas pelo clube, que deu chances iguais tanto para jogadores profissionais quanto para amadores. Além das joias a serem lapidadas, o times buscou alguns nomes para completar a equipe.
- Pesquisei sobre o time do ano passado, já que eu não estava aqui. Nosso time era mais técnico. Agora, vai ser mais de força e velocidade, mas menos técnica. Quanto à participação no campeonato, é muito difícil, principalmente pela tabela. Nas cinco primeiras rodadas, são três jogos fora. E os jogos em casa são contra Atlético e Londrina. Fica até difícil prever alguma coisa. Mas creio que a gente pode ficar entre os oito – disse o treinador.  
O Leão da Estradinha ainda busca a formação ideal. Amauri já testou o time no 4-2-3-1, no 4-3-2-1 e até no 3-6-1. Mas a base conta com Enderson (Carlos Luna); Diogo Saraiva, Junior Goiano, João e James; Paulo Henrique, Alex, Dieguinho, Roger e Bruno Andrade; Josi, que deve jogar na primeira partida, contra o J Malucelli, na casa do adversário, no domingo.
Regulamento:
As 12 equipes se enfrentam em turno único, classificando-se os oito melhores para as quartas de final, enquanto os quatro últimos disputam o Grupo Descenso, que vai rebaixar os dois piores após dois turnos. 
Em caso de empate na pontuação nas etapas de pontos corridos, são critérios de desempate: 1) mais vitórias; 2) melhor saldo de gols; 3) mais gols pró; 4) confronto direto; 5) menos cartões vermelhos; 6) menos cartões amarelos; 7) sorteio. 
Quartas, semifinal e final serão disputadas no sistema mata-mata em jogos de ida e volta para se apurar os classificados e o campeão. Havendo empate em pontos e saldo de gols, as decisões serão sempre em cobranças de pênaltis.
* Contribuíram para o texto: Alana Fonseca, Erick Gimenes, Fernando Freire, Gizele Silva, Monique Silva e Rodrigo Saviani.


OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário