quarta-feira, 27 de julho de 2011

Toledo poderá buscar a derrota diante do Serrano


Para concluir com chave de ouro sua impecável campanha no returno da Série B estadual, o Toledo precisa de uma derrota no próximo fim de semana. Isso mesmo. Quando entrar em campo contra o Serrano, o melhor cenário para o Toledo Colônia Work (TCW) voltar ao topo dos clubes paranaenses é um tropeço somado a uma vitória do Londrina. Quem coloca o clube nesta inusitada situação é mais uma “pérola” dos regulamentos elaborados pela Federação Paranaense de Futebol (FPF).
Campeão do primeiro turno e com 20 pontos, se conquistar também o segundo, o Londrina garante o acesso, leva consigo para a elite o clube com a segunda melhor campanha – no caso o Toledo – e ainda elimina a necessidade de um quadrangular decisivo.
Melhor time do returno e já garantido em um eventual quadrangular – com 22 pontos, com sete vitórias, um empate e 91,6% de aproveitamento –, caso termine em primeiro, o TCW aumenta o risco de não subir, já que terá de jogar o quadrangular, e ainda acumula prejuízo com mais três jogos a serem disputados. Tudo graças à norma da FPF.
“É complicada essa situação do regulamento. Se o Londrina ganha, estamos classificados. Se ganharmos, ‘carregamos’ mais duas equipes para o quadrangular com o Londrina, gastamos mais uma folha de pagamento, no valor de R$ 100 mil, e ainda ficamos expostos porque em um mata-mata tudo pode acontecer. Mesmo após essa campanha maravilhosa que fizemos”, reconhece o presidente do Toledo, Irno Picinini.
Para voltar à primeira divisão, a equipe toledense investiu no planejamento, contou com a ajuda da comunidade e empresários da região e montou um plantel com investimento de R$ 400 mil – R$ 500 mil se disputar o quadrangular e tiver de bancar o mês de agosto. “É uma folha de Série A”, defende o presidente.
O dirigente comenta que o sistema de disputa, tratado no capítulo 2 do regulamento, já estava pronto no arbitral e ninguém se atentou para a possibilidade de um time se beneficiar com a derrota. “Lá atrás, ninguém imagina como vai ser a sua campanha. O Cascavel, por exemplo, fez um bom time e está brigando para não cair. O regulamento acaba beneficiando outras equipes, que mantêm a esperança de classificação até o fim. Então, temos de cumprir e pronto”, ponderou Picinini.
Apesar da possível vantagem de um revés contra o Serrano e o Tubarão bater o Foz do Iguaçu, o Toledo, obviamente, garante que vai buscar a vitória. “Vai que o Londrina perde. Não podemos desperdiçar a possibilidade de fazer o segundo jogo do mata-mata em casa”, acrescentou o mandatário do TCW.
O vice-presidente da Federação, Amilton Stival, reconheceu que é uma situação “curiosa” imposta pelo regulamento. Descarta, porém, que seja um erro da entidade, muito contestada após o polêmico supermando – que deu ao campeão do primeiro turno em 2009 e 2010 o direito de jogar seis partidas em casa.
A norma da Série B deste ano vale também para 2012, por causa da exigência nacional da reedição do regulamento. Assim, o Paraná, rebaixado nesta temporada do Paranaense, estará sujeito a esta fórmula, se não tiver seu recurso aceito pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) contra o Rio Branco, por utilização irregular de um jogador pelo clube parnanguara. A data do julgamento não está definida.

Texto: Ana Luzia Mikos (Gazeta do Povo) – Foto: Futebol Paranaense
Programa Intervalo no Esporte (18:00 as 19:00 hrs) – Radio Cidade – www.cidade104fm.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário