quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Moradores de São Nicolau fazem festa para receber estátua do santo quase 60 anos após imagem ter sumido



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: G1 Imagem: G1


Foi com muita festa que os moradores de São Nicolau, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul, receberam a estátua do santo que dá nome à cidade. A celebração ocorreu na sexta-feira (22).
Quase metade da população do pequeno município acompanhou a chegada da estátua do santo que deu origem à figura do Papai Noel, tão celebrada nesta época do ano. A comemoração pela volta do padroeiro reuniu boa parte dos quase 6 mil habitantes da cidade, que encheram as ruas de carros em uma procissão. 
"É uma grande alegria para nós porque faz tantos anos que o santo foi roubado aqui de São Nicolau e agora ele está de volta. Só temos que festejar a volta dele", comemora a dona de casa Genoveva de Ávila.  
A imagem tem 95 cm de altura e pesa 20 quilos, mas o número que realmente impressiona é a sua idade: são 300 anos de uma história que, até hoje, move fiéis.
A estátua de madeira, descoberta em uma sala fechada de uma escola em Santa Maria, foi reconhecida como a imagem que foi roubada da Igreja Matriz da cidade, na década de 1960, e restaurada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A autenticidade da imagem comprovada por análises no Instituto do Cérebro. 
"É um momento importante não só para o Rio Grande do Sul, mas para a arte sacra nacional. Se a gente fala das obras de Aleijadinho, essa aqui se compara em nível pela sua grandeza, testemunho artístico e cultural da arte sacra brasileira", afirma o pesquisador Edison Huttner.
O retorno da imagem foi celebrado com bênçãos na Igreja Matriz de São Nicolau. Para a estátua ficar na igreja, o Iphan pediu à paróquia uma série de medidas de segurança, como reforço nas travas das portas e das janelas e melhoras no sistema de alarme. Tudo para evitar um novo roubo.
De volta à sua cidade natal, o trabalho de pesquisas em torno da estátua continua. Agora, o Iphan quer descobrir quem esculpiu a imagem de madeira revestida por fios de ouro há três séculos.
"Nós vamos esperar até março ou abril e chamaremos um ou dois técnicos para atestar se foi o artista Giuseppe Brasanelli. Ele foi um escultor que produziu tanto igrejas, quanto imagens", explica Juliana Erpen, superintendente do instituto no Rio Grande do Sul.
Independentemente de quem foi o artista responsável pela imagem, a estátua do homem que nasceu no século três depois de Cristo ainda provoca encanto natalino. 
"Ele foi generoso, e por isso nós continuamos aprendendo com ele, especialmente aqui, que foi padroeiro dessa paróquia, a também vivermos e exercermos a generosidade", comemora o bispo Dom Liro.  
Imagem estava em uma escola de Santa Maria
A estátua de São Nicolau estava escondida há anos em uma sala fechada de uma escola de Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul. Não se sabe como ela foi parar lá. O pesquisador da arte jesuítica e caçador de relíquias, irmão Edison Huttner, descobriu a imagem por acaso, e decidiu investigá-la.
A escultura foi então enviada ao Instituto do Cérebro, em Porto Alegre, para testes em busca de comprovação da sua origem. Uma tomografia computadorizada, idêntica à utilizada em seres humanos, detalhou as características da imagem como, por exemplo, um cravo, espécie de prego que apareceu cravado na base da estátua. É um tipo de cravo semelhante ao utilizado em outras obras jesuíticas, que serviam para que a estátua ficasse firme em uma base.
O santo perdido
A Igreja Matriz de São Nicolau já foi demolida. Em meados dos anos 1960, o roubo da estátua surpreendeu a pequena comunidade. “Dizem aqui que a cidade não cresceu mais porque o Santo não está mais com o povo”, conta Ana Paula Alvarenga, ex-secretária de Turismo da cidade de São Nicolau. Muitos mitos e histórias foram criados ao redor do fato. 

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário