sábado, 30 de dezembro de 2017

Envolvidos no caso do helicóptero carregado de cocaína são condenados



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: GAZETA ONLINE Imagem: Divulgação


A Justiça Federal condenou os cinco acusados de envolvimento no caso do helicóptero que desembarcou com 445 quilos de cocaína, em novembro de 2013, em uma fazenda no município de Afonso Cláudio, na região Serrana do Estado. O helicóptero pertencia ao ex-deputado estadual mineiro Gustavo Perrella.
Alexandre José de Oliveira Júnior, Rogério Almeida Antunes, Everaldo Lopes Souza, Robson Ferreira Dias e Elio Rodrigues foram presos em flagrante ao pousar um helicóptero com 445 quilos de cocaína, em 2013, no distrito de São Domingos, a 20 quilômetros do centro de Afonso Cláudio. Eles respondiam pelo crime em liberdade desde abril de 2014.
A prisão dos réus em 2013 foi feita pela Polícia Militar, numa ação coordenada pela Polícia Federal que repassou à PM as informações sobre a chegada do helicóptero numa fazenda localizada próximo a Afonso Cláudio.
A sentença que condena os cinco acusados de tráfico de drogas foi emitida pelo juiz Federal Marcus Vinícius Figueiredo de Oliveira Costa, Titular da 1ª Vara Federal Criminal de Vitória, no último dia 19 de dezembro.
O helicóptero pertencia à empresa Limeira Agropecuária, cujo dono é o ex-deputado estadual e atual secretário nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, Gustavo Perrella, cargo atrelado ao Ministério do Esporte. Perrella alegou que o piloto utilizou o helicóptero sem sua autorização. O secretário foi inocentado.
“O helicóptero constituiu o meio necessário ao transporte da droga e inexistem dúvidas quanto à instrumentalidade do bem para o tráfico. Não há boa-fé na conduta da empresa proprietária, sendo-lhe imputáveis os atos do administrador [...] Por isso, o pedido de restituição da aeronave”, disse parte da sentença.
SENTENÇA
O piloto da aeronave, Rogério Almeida Antunes, foi condenado a dez anos e quatro meses de reclusão em regime fechado, além de 1.032 multas diárias de R$ 25. O copiloto Alexandre José de Oliveira Júnior foi condenado a dez anos e quatro meses em regime fechado, além de 1.032 multas diárias de R$ 100.
Apontado como interceptador da droga, Everaldo Lopes Souza foi condenado a nove anos e quatro meses de reclusão em regime fechado e 932 multas diárias de R$ 40. Outro condenado, também apontado como interceptador, Robson Ferreira Dias, vai responder a oito anos e oito meses de reclusão em regime fechado, além de 864 multas diárias de R$ 50.
Já o dono da fazenda, Elio Rodrigues, foi condenado a dez anos e oito meses de reclusão em regime fechado, além de multa de R$ 150 por 1066 dias.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário