quarta-feira, 31 de outubro de 2012

SERIE A - SUL-AMERICANA - Jogos



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Élio Kohut (Intervalo da Noticias) Imagem: Élio Kohut (Intervalo da Noticias)

Brasileirão 
Com rivalidade acirrada, Galo e Fla fazem jogo com ares de final em BH

Se um campeonato de pontos corridos tem várias finais, não necessariamente elas reúnem sempre os postulantes ao título. O duelo entre Atlético-MG, vice-líder, e Flamengo, 14º colocado, que fecha a 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, pode deixar bem encaminhada a competição, restando apenas cinco jogos para seu encerramento. Enquanto o Galo briga para recuperar a distância palpável de seis pontos para o líder Fluminense, o Rubro-Negro pode chegar a 43 pontos em caso de vitória, abrir dez de vantagem para o Z-4 e praticamente se livrar do risco de rebaixamento. A partida será realizada nesta quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), no Independência, em Belo Horizonte.Sandro Meira Ricci (Fifa/PE) apita a partida, auxiliado por Roberto Braatz (Fifa/PR) e Alessandro Rocha de Matos (Fifa/BA). Sandro Ricci arbitrou 13 jogos no Brasileirão, marcou 444 faltas (média de 34,1 por jogo), aplicou 60 amarelos (média de 4,6 por jogo), quatro vermelhos (média de 0,31 por jogo) e três pênaltis (média de 0,23 por jogo). O campeonato tem média de 4,96 amarelos, 0,27 vermelho, 36,9 faltas e 0,22 pênalti. O árbitro apitou um jogo dos mineiros e dois dos cariocas na Série A deste ano: e Atlético-MG 1 x 0 São Paulo (24ª rodada), Flamengo 0 x 3 Corinthians (10ª rodada) e Coritiba 3 x 0 Flamengo (23ª rodada)

Atlético-MG: o time atleticano está definido para a partida decisiva. Para tentar diminuir a diferença de pontos do líder Fluminense, o Galo entra em campo com Victor; Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete, Guilherme, Ronaldinho Gaúcho e Bernard; Jô.
Flamengo: o técnico Dorival Júnior deve mudar duas peças em relação ao time que venceu o São Paulo na última rodada. Cleber Santana entra na vaga de Wellington Bruno, e Airton, com dores na coxa direita, deve dar lugar a Ibson. Cáceres seria titular, mas uma pancada no quadril ainda o incomoda. Léo Moura, com dores na coxa direita, também está vetado. O Rubro-Negro deve entrar em campo com: Felipe, Wellington Silva, Renato Santos, González e Ramon; Amaral, Ibson, Renato e Cleber Santana; Liedson e Vagner Love. 

Sul-Americana
Em alta, São Paulo encara atual campeão da Sul-Americana no Chile
Com o 4-3-3, o São Paulo cresceu de produção no Campeonato Brasileiro. Uma arrancada colocou o time na quarta colocação, sete pontos à frente do Internacional e com grande chance de garantir vaga na Taça Libertadores de 2013. Na noite desta quarta-feira, pela Copa Sul-Americana, o Tricolor terá uma prova de fogo para mostrar ao seu torcedor que se tornou um time confiável.
Universidad de Chile: o técnico Jorge Sampaoli resolveu priorizar a Copa Sul-Americana. Por isso, La U terá praticamente força máxima nesta quarta-feira e atuará com os reservas no fim de semana, no clássico contra o Universidad Catolica, pelo Campeonato Chileno. A dúvida é o goleiro Johnny Herrera, que teve apagada passagem pelo Corinthians. Ele pode ser substituído por Garcés. A escalação provável tem: Herrera (Garcés); González, Rojas, Mena e Rodríguez; Cereceda, Aránguiz, Lorenzetti e Martínez; Gutiérrez e Ubilla.
São Paulo: sem Luis Fabiano e Paulo Miranda, poupados, o técnico Ney Franco resolveu apostar em Willian José e Douglas para o duelo desta quarta. A outra novidade é a volta de Jadson, que cumpriu suspensão diante do Sport. O Tricolor entrará em campo com: Rogério Ceni, Douglas, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Denilson, Wellington e Jadson; Lucas, Willian José e Osvaldo.
* A história dos confrontos entre as duas equipes mostram três empates e duas vitórias do São Paulo. Os chilenos marcaram cinco gols e os brasileiros balançaram as redes adversárias nove vezes.
* Universidad de Chile é o sétimo time estrangeiro que os paulistas encaram no torneio continental. Até aqui, o desempenho é apenas regular, com cinco vitórias, dois empates e cinco derrotas. O aproveitamento é de 47,2%.
* Quando atua como visitante na Sul-Americana, o São Paulo não costuma ir bem. Em seis jogos, conquistou apenas uma vitória (The Strongest-BOL em 2003), um empate (LDU de Loja em 2012) e quatro derrotas (River Plate-ARG em 2003, Boca Juniors-ARG em 2007, Millonarios-COL em 2007 e Libertad-PAR em 2011)
* O São Paulo enfrentou uma equipe chilena pela última vez há quatro anos. Na Libertadores de 2008, o rival foi o Audax Italiano pela primeira fase. No Chile, os donos da casa venceram por 1 a 0. No Morumbi, os brasileiros deram o troco e venceram por 2 a 1, gols marcados pelo Imperador Adriano. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário