domingo, 28 de outubro de 2012

Felipe Lucas vai voltar a ser deputado



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Rodrigo Zub (Radio Najua) Imagem: Juarez Oliveira

Depois de três anos de ausência a cidade de Irati será novamente representada na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), a partir de 2013. Terceiro suplente do Partido Popular Socialista (PPS), com 31.080 votos nas eleições para deputado estadual em 2010, o ex-prefeito de Irati, Felipe Lucas*, volta a assumir uma vaga entre os 54 deputados que representaram o Paraná na ALEP. A vitória dos candidatos César Silvestre Filho e Marcelo Rangel, eleitos como novos prefeitos de Guarapuava e Ponta Grossa, respectivamente, deixaram livre o caminho para que Tercilio Turini e Alceuzinho Maron (dois primeiros suplentes) assumissem duas vagas na Assembleia. Nessa conjuntura política, Lucas ficaria dependendo da saída de mais um titular para conseguir uma cadeira na ALEP. No entanto, Maron deixou no ano passado o PPS e filiou-se ao PSDB, partido que concorreu à prefeitura de Paranaguá. Durante a corrida eleitoral o próprio candidato disse durante reuniões políticas e convenções do partido que estaria abrindo mão da vaga na ALEP para ser prefeito de seu município. A notícia foi confirmada à equipe da Najuá, pelo filho de Felipe Lucas, o vereador Rafael Lucas (PSB), que participou de uma das reuniões em que Maron, afirmou que seu objetivo era ser eleito como chefe do executivo de Paranaguá e não assumir uma cadeira na Assembleia. Com 16.572 votos (20,18%), Maron ficou em 3ª lugar no pleito. Roque do PMDB foi eleito como novo prefeito de Paranaguá, com 35.555 votos. Dessa forma, mesmo que reveja seu posicionamento e pense em assumir a vaga na Assembleia, Maron perde esse direito, pois a vaga de suplência pertence ao partido e não candidato. A informação foi confirmada a nossa reportagem pelo advogado, Mário Pietroski Junior, que presta assessoria jurídica para a Câmara de Vereadores de Mallet.
Viagem em Brasília
Procurado para falar sobre sua volta a ALEP, Felipe Lucas não foi encontrado por nossa reportagem. De acordo com seu filho, Rafale Lucas, o ex-prefeito de Irati, viajou para a cidade de Brasília, onde passou o fim de semana.
Caso parecido
Um caso parecido aconteceu recentemente na região quando o vereador João Luiz Ferreira (PMDB) assumiu uma vaga no legislativo de Fernandes Pinheiro no lugar de Hailton Bocarth Taborda, que morreu no dia 3 de agosto após um ataque cardíaco.  Luizão como é conhecido era o 2ª suplente da coligação PMDB/PRP, mas foi beneficiado após a saída do 1º suplente, Sebastião Vasco de Jesus (Tiãozinho), que migrou do PRP para o PSDB, partido que disputou o pleito deste ano. “Nesse caso ele perdeu automaticamente o direito de assumir a vaga por infidelidade partidária. Nesse caso do Felipe Lucas e o candidato de Paranaguá acontece à mesma situação e o iratiense fica com a vaga”, explica o advogado, Vinicius Lascoski.
Falta de representativdade
Recentemente em entrevista no quadro “Eleições 2012” do Programa Meio Dia em Notícias, Felipe Lucas, que é presidente do diretório municipal do PPS, lamentou a ausência de um representante de Irati na Assembleia Legislativa e destacou a necessidade de eleger um representante com experiência política. “É uma pena que hoje não temos representante na Assembleia, é muito importante ter alguém próximo à nossa região lá. Eu gosto de política e adquiri maturidade durante o tempo que atuei como prefeito e deputado estadual”. O prefeito de Irati, Sérgio Stoklos, tem opinião semelhante a Lucas e também lamenta o fato da região não ter um representante na esfera estadual. “Irati perde muito sem representatividade. A nossa região teve um histórico de representatividade com Canoco, João Mansur, Tico Lopes e mais recentemente Toti Colaço e o Felipe Lucas, na última legislatura [2006-2010]. Quem é que vai levantar uma bandeira para Irati se não temos representatividade. Um deputado de Ponta Grossa vai levar alguma verba para Ponta Grossa e não Irati”, diz Stoklos.
"Pára-quedistas"
O atual prefeito de Irati até agradece o trabalho de alguns deputados em favor da região, porém lembra que o foco deles é outro. “Podem até serem pessoas boas, mas eles procuram nossa região apenas para complementar seus votos para conseguir se eleger. Não podemos continuar sendo cabos eleitorais de outros candidatos. Nós temos gente, eleitores suficiente e capacidade para ter um representante”, enaltece Stoklos, que defende a campanha lançada recentemente pela nova diretoria da Associação Comercial e Industrial de Irati (ACIAI), para que Irati e os outros municípios da região possam se unir para eleger um representante na Assembleia em 2014. Stoklos cita que sempre preferiu votar em candidatos da região em detrimento a pára-quedistas que aparecem em Irati, somente em períodos eleitorais. “Em 1982 votei no então candidato Amilcar Rezende Dias, natural de Rio Azul, que concorreu naquele pleito”, lembra.


Nenhum comentário:

Postar um comentário