terça-feira, 20 de setembro de 2011

Moradores de Imbituva fecham as entradas da cidade pra cobrar melhorias


Trafegar pela BR-153 nos últimos meses se tornou um grande desafio para super herói nenhum botar defeito. Basta observamos a situação da rodovia no trecho de aproximadamente 100 km entre os municípios de Imbituva e Paulo Frontin. Devido às condições precárias do local, o que se vê diariamente é um cenário triste e desolador. O descaso das autoridades causa medo e espanto da população que reclama incessantemente sobre a trafegabilidade da rodovia. São Pedro manda chuva do céu e com ela o desespero toma conta dos usuários da BR. A cada dia que passa a quantidade e o tamanho dos buracos só aumenta. Não são um, nem dois, sequer três, mas sim incontáveis buracos ou verdadeiras “crateras”. A falta de segurança para motoristas e principalmente aos pedestres é constante. Não é difícil trafegar pela rodovia e observar veículos com problemas mecânicos ou com pneus furados. Os dias passam e as obras de recapeamento asfáltico prometidas pelo DNIT não são providenciadas causando ainda mais medo e insegurança aos usuários. Para tentar sensibilizar as autoridades e fazer com que as obras tenham início o mais rápido possível, a população de Imbituva realizou uma manifestação na manhã desta terça-feira, 20, reivindicando melhorias nas entradas que dão acesso à cidade. BR-153 que liga Imbituva a Irati, a região do portal na saída da BR-373 e a estrada que dá acesso ao município de Ivaí. Todos estes trechos não têm acostamento e o asfalto está cheio de buracos.
Rodovia interditada
Como forma de protesto a BR-153 foi fechada às 10 h da manhã pelas pessoas que moram ou passam pelo local todos os dias. Caminhões foram atravessados na pista e pneus queimados para bloquear a passagem dos motoristas. Uma fila de carros e caminhões se formou nos dois sentidos da rodovia que só foi liberada para o tráfego normal por volta do meio dia.
Triste realidade
Durante o protesto prefeito, vereadores, membros de entidades municipais e também a população pode se manifestar e mostrar um pouco da realidade e das dificuldades que os usuários enfrentam diariamente. “O principal trevo que liga a cidade está precário, super estreito, sem calçadas, sem ciclovia e sem acostamento. A rodovia que liga a cidade até a localidade de Mato Branco, sentido Ivaí e Guarapuava, está também sem acostamento e sem calçadas. O asfalto que liga Imbituva a Irati (BR-153) está inacessível sem acostamento, com buracos enormes, o que resulta em demora e pneus furados entre outros transtornos e dificuldades”, relata o padre Leocádio José Zytkowski, da Paróquia Santo Antonio de Imbituva, que afirma ainda que as três entradas e saídas da cidade estão intransitáveis. O vereador Ângelo Martelotti cobrou soluções imediatas por parte de deputados e demais autoridades e defendeu ainda uma melhor aplicação dos recursos e dos impostos arrecadados para que eles sejam revertidos em prol da conservação das rodovias que dão acesso à cidade. “Infelizmente o Estado constrói e aos poucos abandona. E é o que aconteceu nesse trecho da BR-153. Alguns trechos eles não possuem mais a capacidade de trafegabilidade. Nós envolvidos na política sabemos que todos nós pagamos impostos e eles deveriam ser revertidos em benefício à população. Eu tenho certeza que todos aqueles que têm veículos que pagam o seu IPVA acreditam que esse dinheiro deveria ser revertido na conservação das estradas ao menos, mas não é o que acontece”, solicita o vereador. O vereador explica que o governo municipal está impossibilitando de empenhar recursos em trechos de rodovias que não são de sua responsabilidade. Desta forma, ele pede o auxílio de todos os companheiros do legislativo municipal para que consigam através do seu deputado um auxílio junto ao governo federal para que a restauração das rodovias seja providenciada. “Gostaria que o Dnit e os órgãos responsáveis que estão relacionados nesse processo conservem e que dêem continuidade o processo de revitalização da BR porque senão ela irá acabar e nós não vamos ver nada além da estrada antiga que existia que era cascalhada e de chão batido”, reflete Martelotti.
Situação beira o caos
Através do protesto, a comunidade encarecidamente fez a solicitação para que as vias de acesso ao município sejam duplicadas ou alargadas, como forma de garantir mais seguranças aos usuários.  “Eu venho fazer o meu protesto porque não temos mais condições de escoarmos nossos produtos para Imbituva, nós entregamos merenda escolar, mas está terrível. Temos que cuidar da gente e dos outros na estrada. Tá uma vergonha, nós temos que tomar uma atitude e partir pra cima dos homens lá em cima”, diz um caminhoneiro da localidade de Lontrão. Já outro morador do município relatou o triste cenário que tem acompanhado constantemente na rodovia. “Eu moro no trecho Imbituva-Irati e estamos enjoados de tanto socorrer gente. Eu moro bem próximo da estrada. De dia não é tanto, mas a noite é dois, três e até quatro carros batendo pedindo socorro vindo comprar pneu estoura roda, não há condição. É uma vergonha. Nós estamos pedindo às autoridades que tomem providências”, suplica um morador do Bairro Barro Preto.

Texto: Rodrigo Zub, com reportagem de Nagib Harmuch (Radio Najua)  – Foto: Divulgação
Programa Cidade Noticias (12:00 as 13:00 hrs) – Radio Cidade FM (87,9) – WWW.cidade104fm.com.br  

Nenhum comentário:

Postar um comentário