sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Confira a desculpa do pai para policia por ter estuprado sua filha



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: ES HOJE Imagem: Bruno Barros

Um líder religioso foi preso nesta quinta-feira (28) suspeito de abusar da própria filha há três anos. O suspeito estava na igreja no município de Cariacica quando foi detido pela polícia. A vítima, atualmente com 17 anos, residia com o pai, a madrasta e dois irmãos, uma criança de quatro, e um menino de 13, em Vila Velha. Segundo a polícia, o acusado era taxista, além de pastor, e era dono de duas igrejas.
O delegado Lorenzo Pazolini, responsável pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), garante que o pastor realizava abusos sexuais no quarto da filha. "Nos primeiros dois anos ele permanecia com atos libidinosos, depois cometeu a conjunção carnal. A madrasta explicou que nunca tinha visto nada e nem desconfiava do marido", comenta.
A polícia destaca que o acusado cometia o abuso nos mesmos horários, diariamente, com agressão física e verbal. "O abuso sexual tornou-se rotineiro, quase diário. Às vezes diante do choro da filha ele parava e pedia perdão", relata
“Era só pra saber que ela era virgem”
O acusado alega que mantinha tais atos para comprovar a virgindade da adolescente, já que suspeitava de um encontro com um rapaz. "Inicialmente era para atestar a virgindade, porque ela só poderia se casar na minha igreja se fosse virgem. Eu sei que fui errado, eu coloquei a mão nela, eu coloquei o dedo nela, mas sempre fui um bom pai", prepondera o acusado.
A adolescente, exausta dos abusos, foi morar com uma amiga, a qual a ajudou a realizar a denúncia no dia 11 de janeiro deste ano. Na ocasião, o pai da vítima e acusado de abusar dela estava viajando para o Pará, local em que abriria outra igreja.
A equipe de policiais encontrou na residência do pastor, no município canela-verde, móveis em caixas. De acordo com o delegado Lorenzo Pazolini, responsável pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), essa pode ser uma suspeita de que o acusado poderia estar planejando uma fuga.
Pazolini frisa que a menina morava com a avó paterna, no Pará, e mais tarde veio morar com o pai, com o qual viveu por oito anos. A mãe mora no Maranhão, mas não mantém contato. O pastor aguarda julgamento, em reclusão no Centro de Triagem de Viana (CTV), e, se condenado, pode continuar por lá por até mais 15 anos.




OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário