quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Na prática, Maia assume posto de vice-presidente



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: R7 Imagem: Flávio Soares (Câmara dos Deputados)


Com a efetivação de Michel Temer (PMDB) na Presidência da República, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se torna na prática o vice-presidente do Brasil até fevereiro de 2017, quando deixará o comando da Casa.
A posição reforça a estratégia do parlamentar de tentar se firmar como o principal interlocutor de Temer no Congresso, além de acentuar a influência da antiga oposição (PSDB, DEM, PPS e PSB) dentro da base aliada.
O presidente da Câmara já terá a oportunidade de assumir o comando do País nos próximos dias, quando Temer viajará para a reunião do G-20 na China.
Ainda em setembro, Maia deverá assumir a Presidência outra vez, pois Temer pretende viajar para os Estados Unidos para participar da Assembleia-Geral das Nações Unidas, em Nova York. Até o fim deste ano, há ainda outras chances de Maia assumir o posto, uma vez que há o planejamento de várias viagens para Temer "se apresentar" ao mundo.
Maia foi eleito presidente da Câmara em julho, em uma articulação que uniu a direita e grande parte da esquerda para derrotar Rogério Rosso (PSD-DF), candidato de Eduardo Cunha e do Centrão - grupo de 13 partidos da base liderado por PP, PSD e PTB. A eleição significou uma espécie de revanche para Maia, que, dois meses antes, tinha sido preterido por Temer na escolha do líder do governo. O escolhido foi o deputado André Moura (PSC-SE).
Desde que assumiu a presidência da Casa, Maia vem aproveitando o cargo para aumentar sua influência junto a Temer. Ele tem a seu favor a desconfiança do Planalto com o atual líder do governo e a histórica distância entre Temer e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o que o ajuda a se cacifar como um dos principais interlocutores do governo no Congresso. Agora, como substituto de Temer, a expectativa é de que sua força aumente.
Por meio de Maia, a antiga oposição também aumenta sua influência para a eleição do presidente da Câmara para o mandato 2017-2018. O deputado do DEM não pode disputar reeleição, mas há vários pré-candidatos de seu partido e principalmente do PSDB para o posto. O Centrão, que nunca engoliu a derrota sofrida para Maia, promete marcar ainda mais posição, o que pode afetar a união da base e prejudicar Temer.
PFL
O DEM não ocupava a vice-presidência da República desde 2002, último ano do mandato do pernambucano Marco Maciel como vice-presidente de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Naquele ano, quando a legenda ainda se chamava PFL (Partido da Frente Liberal), Maciel chegou a assumir o comando do País em fevereiro, por sete dias, durante viagem de FHC à Europa.
Três perguntas para Rodrigo Maia:
Será possível aprovar o ajuste fiscal?
Rodrigo Maia - Aprovar o ajuste o fiscal não é questão de possibilidade, mas de necessidade para o País.
Como avalia as tensões entre PMDB e PSDB em torno dos rumos do ajuste?
As tensões estarão encerradas com o fim do julgamento do impedimento da presidente Dilma Rousseff.
Do que depende o sucesso do governo Michel Temer?
O sucesso do governo Michel Temer depende, diariamente, da clareza das ações do governo e da aprovação de leis que recuperem o equilíbrio fiscal do Brasil. 
MATÉRIAS RELACIONADAS:  

Artistas e intelectuais brasileiros lançam carta contra o impeachment.
Para 65% dos brasileiros, Dilma deve ser afastada definitivamente, revela pesquisa.
Dilma fala por 13 horas, defende mandato e diz que é vítima de golpe parlamentar.
Pó branco no Senado era açúcar, diz parlamentar.
Senado aprova impeachment, sela saída definitiva de Dilma.
Veja como os senadores votaram no julgamento do impeachment.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário