segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Ministra Gleisi Hoffmann confirma recursos para Transbrasiliana no orçamento 2014



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Diário dos Campos Imagem: Élio Kohut (Intervalo da Noticias/Rádio Najuá)


Durante a assinatura de contrato de 700 casas pelo programa Minha Casa Minha Vida em Castro, no último sábado, a ministra chefe da Casa Civil, confirmou à prefeita de Tibagi, Ângela Mercer de Mello e também à comitiva de líderes regionais, a confirmação de destinação de recursos para a continuidade da obra da BR-153, a Transbrasiliana, que já está inclusa no orçamento de 2014. Angela levou a reivindicação em nome da Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG) sendo assegurada a continuidade da primeira etapa da obra até o município de Ipiranga.
Em 2012, o governo federal chegou a sinalizar que a continuidade da obra seria incluída no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), mas que não foi efetivada. A Transbrasiliana corta o Brasil entre as cidades de Marabá (PA) e Aceguá (RS), pela parte central no total de 4.355 quilômetros de extensão. De todo o trajeto, apenas o trecho entre Tibagi (Alto do Amparo) e Imbituva continua sem asfalto.
Angela destacou que a continuidade desta obra representa um avanço para o desenvolvimento dos municípios dos Campos Gerais. “Diretamente os municípios de Tibagi, Ipiranga e Imbituva serão beneficiados, mas indiretamente é toda a nossa região. Este é o único trecho que não está pavimentado, por isso com o início e conclusão da rodovia os Campos Gerais será um grande corredor para o progresso”, aponta.
Histórico
Em novembro de 2011 foi inaugurado o trevo construído entre a BR-153 Transbrasiliana e a BR- 376, Rodovia do Café, em Tibagi, na região do Distrito de Amparo. A obra iniciada em setembro de 2009 contou com cerca de R$ 19 milhões em recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal para a edificação de oito alças de acesso entre as duas importantes rodovias federais.
O trecho de 82 quilômetros entre Ventania e Tibagi usou mais de R$ 120 milhões em investimentos. Ainda em Ventania aconteceu em 2011 a inauguração de casas construídas para realocar 59 famílias que viviam em área de ocupação irregular sobre trecho de 440 metros da Transbrasiliana. As casas de 40 metros quadrados foram edificadas em área cedida pela Prefeitura de Ventania, na Rua Profeta João Maria, área central da cidade, com o investimento de R$ 6 milhões que inclui a operação de realocação e pavimentação do trecho e a construção de uma interseção em desnível (trincheira) no cruzamento com via urbana. O perímetro de ocupação ainda não pôde ser pavimentado por conta do impasse que deveria ser solucionado com a entrega das moradias.
Trevo
A pista da Rodovia Transbrasiliana (BR-153) no sentido Tibagi - Imbituva passa agora sob o viaduto construído no trevo com a BR-376, em Amparo. A obra iniciada em 25 de setembro de 2009 foi concluída em outubro de 2011 com a liberação do trevo que tem oito ramos, incluindo quatro folhas, para viabilizar acesso seguro no entroncamento. A extensão total de pavimento chega a 27 quilômetros de pista.
Das fases de construção, a movimentação de mais de 600 mil metros cúbicos de terra foi o que chamou mais atenção no local numa obra que envolveu várias etapas que incluíram desde a desapropriação de áreas, limpeza, terraplanagem, arte especial, com construção em concreto para implantação de viaduto, drenagem, pavimentação e sinalização de todas as oito pistas que compõem as alças do trevo, além de obras complementares, com cerca e grama.
As trincheiras foram feitas com superlargura de mais de seis metros já prevendo a futura duplicação da BR-376, que deve ser feita pela concessionária que administra o trecho. A obra do trevo foi efetuada em consórcio pelas empreiteiras CR Almeida e J. Malucelli.
Veja aqui como começou esta conquista.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário