terça-feira, 29 de abril de 2014

Monitoramento de casos de tuberculose em Guamiranga se torna destaque estadual



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Edilson Kernicki (Rádio Najuá) Imagem: Élio Kohut (Intervalo da Noticias/Rádio Najuá)

O Dia Mundial de Combate à Tuberculose é comemorado no dia 24 de março, quando o município de Guamiranga foi reconhecido pela Secretaria Estadual de Saúde (SESA), como referência entre os municípios que compõem a 4ª Regional de Saúde no monitoramento e tratamento dessa doença respiratória.
A enfermeira responsável pelo Setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde de Guamiranga, Neurice Rodrigues, ressalta que o município é pequeno e possui casos em bem menor escala que cidades maiores. No entanto, “como a tuberculose é uma doença sintomática respiratória, que geralmente ocorre nesse período do inverno e geralmente observamos se tem mais de três semanas de tosse produtiva, se tem febre. Geralmente, a gente prevendo um diagnóstico precoce, já realizamos o exame, precocemente, quando a pessoa já inicia o tratamento. Foi desta forma que conseguimos essa premiação, que nenhum dos nossos municípios da Regional conseguiu até hoje”, explica.
Conforme Neurice, não há uma idade específica para a incidência da tuberculose. Qualquer indivíduo pode contraí-la. “É uma doença para a qual tem que sempre estar atento, porque é uma doença sintomática, do período de inverno. Às vezes, a pessoa acha que está com gripe ou qualquer outra doença semelhante e pode ser uma tuberculose que está ali escondida”, alerta.
A tuberculose, antes mortal, hoje tem cura, mas o tratamento é complicado e possui inconvenientes, de acordo com a enfermeira. O período de tratamento é prolongado – em média seis meses. “São medicamentos que trazem bastante efeitos adversos para a pessoa que ingere, pois são medicamentos bastante fortes. Tem cura, só que tem que manter cuidado, certa vigilância e o mais importante não seria nem a questão do tratamento, mas a prevenção. Por ser uma doença respiratória, é facilmente transmitida”, explica.
“Como numa gripe, a gente adquire o vírus e replica rapidamente. O ideal é que as pessoas sempre procurem os mesmos cuidados que têm com a gripe também tenham em relação à tuberculose, porque a transmissão é direta, de pessoa para pessoa”, destaca a responsável pela Epidemiologia. Além disso, é uma doença que pode acometer a pessoa novamente, mesmo depois de tratada e curada.
Para a secretária de Saúde de Guamiranga, Tânia Maria Fenker Ragugnetti, o reconhecimento da SESA para os esforços no tratamento e monitoramento da tuberculose é de grande importância. Segundo Telma, é resultado do empenho dos funcionários da rede básica e das equipes do Programa Saúde da Família (PSF) em conjunto.
“Também gostaria de agradecer à 4ª Regional, que também nos incentivou e nos cobra também para que possamos atingir esse percentual. Nosso município, por ser pequeno, eu acho que foi bem vinda essa premiação e vamos procurar esse ano manter ou aumentar essa porcentagem de 85%, maior índice do Estado do Paraná”, ressalta.
O inverno se aproxima e, com ele, novamente o risco de contágio com a tuberculose, ao se concentrar em locais fechados, onde pode haver pessoas infectadas. Tânia garante que o município de Guamiranga já está preparado para o trabalho de combate à tuberculose: “Já estamos começando a fazer novamente os exames preventivos, porque queremos manter ou aumentar esta porcentagem. Vamos contar também com a colaboração da 4ª Regional e de todos os funcionários da Saúde do município de Guamiranga para que possamos novamente atingir esse percentual”, diz.
Confira a entrevista:

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário