sexta-feira, 25 de abril de 2014

Greve dos professores na região



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Paulo Henrique Sava (Rádio Najuá) Imagem: Élio Kohut (Intervalo da Noticias/Rádio Najuá)

Professores de todo o estado continuam em greve nesta sexta-feira, 25. Não houve acordo na reunião realizada entre representantes da Secretaria de Estado da Educação e da APP – Sindicato, que representa os professores.
Em Irati, segundo dados obtidos pela reportagem da Najuá na manhã de hoje, cerca de 50% dos colégios aderiram à greve. Segundo informações do Núcleo Regional de Educação, apenas os colégios Nossa Senhora das Graças e Duque de Caxias continuam tendo aulas normalmente.  Os demais aderiram parcialmente ao movimento. O Colégio Estadual do Rio do Couro foi o único que paralisou totalmente as suas atividades.
Ainda de acordo com o Núcleo, a adesão de colégios dos municípios da região Centro-Sul foi parcial. Segundo dados fornecidos pelo núcleo, na região, 34 estabelecimentos paralisaram suas aulas parcialmente e 18 não aderiram a greve.
A maior adesão à greve entre os municípios atendidos pela APP Sindicato de Irati foi em Prudentópolis, que registrou 90% dos professores paralisando as atividades. Todos os colégios estão sem aula nesta sexta-feira, 25. 
Em Imbituva e Ivaí, as aulas continuam normalmente. Em São João do Triunfo, dois colégios pararam as atividades e dois continuam com as aulas normalmente.
Em Guamiranga, houve a adesão de um terço dos professores à greve. Em entrevista ao repórter Élio Kohut, o professor Adriano de Souza, do Colégio Francisco Ramos, falou sobre a adesão dos professores dos colégios estaduais do município à greve.  De acordo com ele, cerca de um terço dos professores estaduais de Guamiranga aderiu à greve. No Colégio da comunidade Boa Vista, as aulas estão suspensas porque todos aderiram a paralisação. 
“Os professores começaram meio tímidos a greve. A noite foi que os professores aderiam menos à paralisação, mas de manhã foi boa a adesão. Pedimos que todos participem porque fortalece a categoria”, disse Adriano.
E já nesta segunda é para não ter aula.
Depois de se concentrarem em frente ao Núcleo Regional de Educação e realizarem uma carreta nas ruas de Irati, os integrantes da APP Sindicato estiveram na manhã de hoje em Rebouças e Rio Azul, para conversar com os profissionais de educação e mobilizar a categoria. No período da tarde, a direção da APP Sindicato esteve em Inácio Martins, onde também conversou com os professores para explicar os motivos da paralisação.
Reivindicações e negociações
A principal reivindicação da categoria é a implantação dos 33% de hora-atividade. Além disso, eles pedem que seja implantado um novo modelo de atendimento à saúde e exigem o pagamento do piso salarial nacional aos professores e o piso regional para os demais funcionários das escolas. Eles reivindicam ainda que seja feito o pagamento das promoções e progressões em atraso, a suspensão do corte do auxílio-transporte para funcionários em licença médica e melhorias nos contratos realizados através do Processo Seletivo Simplificado (PSS).
De acordo com informações do portal G1 Paraná, durante a reunião, o governo propôs uma compensação financeira pela hora-atividade neste ano, cujo pagamento teria início no mês de agosto.
Ainda segundo a SEED, foi oferecido um novo calendário para o pagamento das promoções dos professores, com início em maio deste ano e término em fevereiro de 2015. O calendário atual previa que este pagamento deveria ser feito até dezembro de 2014.
De acordo com a APP-Sindicato, o item que travou as negociações nesta quinta-feira foi a implantação do piso salarial dos professores. O governo ofereceu um reajuste de 6,5% a partir de maio, mas o piso nacional da categoria teve um reajuste de 8,32%.




OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário