sexta-feira, 31 de maio de 2013

Gastos do Governo do Paraná cresceram mais que arrecadação



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Iris Alessi (Agência de Noticias PR) 


(27/05) que a arrecadação total do estado nos primeiros quatro meses de 2013 foi de R$ 10,31 bilhões. O valor é 13,79% maior que o mesmo período de 2012, quando a arrecadação foi de R$ 9,06 bilhões. No entanto, mesmo com o aumento expressivo da arrecadação, o governo elevou os gastos acima desse aumento, chegando R$ 10,41 bilhões de janeiro a abril. Número 20,60% maior que em 2012, período em que as despesas totalizaram R$ 8,63 bilhões.
O aumento com gastos com pessoal foi um dos motivos alegados pelo secretário da Fazenda, Luiz Carlos Hauly, para o aumento nas despesas do governo do Paraná. De acordo com o secretário, em 2013 a folha de pagamento representou R$ 5,44 bilhões no primeiro quadrimestre, frente a R$ 4,40 bilhões no mesmo período de 2012.
Com o aumento de 22,7% nas despesas com a folha, o governo do Paraná ultrapassou o limite prudencial de 46,55% da Lei de Responsabilidade Fiscal. A porcentagem das receitas comprometidas com o ordenado chegou a 47,68%. O maior nível desde 2003. Outro fator apontado por Hauly é a redução nas transferências realizadas pelo governo federal.
Para o presidente estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), o deputado estadual Enio Verri, o Estado passa por um “problema sério de gestão”. Em seu discurso na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (Alep), ontem, o deputado mostrou números da Secretaria de Fazenda que apontam um crescimento dos repasses federais para o Estado.
De acordo com Verri, o aumento na Receita Arrecadada da Administração Direta no primeiro quadrimestre deste ano foi de 14,93% se comparado com o ano anterior. O deputado questionou em seu discurso os motivos da falta de dinheiro em caixa no Paraná.
“Se existem recursos federais, o próprio líder do governo admitiu que houve aumento no repasse do IPI para o Paraná; se a Receita Arrecadada aumentou 15% em relação ao ano passado; se o Estado continua dinâmico, com a instalação de novas indústrias; se a economia brasileira está forte, graças às políticas macroeconômicas do governo Dilma; por que então que não tem dinheiro no caixa?”, indagou Verri.
O líder da Oposição na Alep, deputado Tadeu Veneri (PT), também comenta que o governo do Paraná não assume a sua responsabilidade. "O Estado, seja o governo, secretários, líderes do governo, vai continuar achando bodes expiatórios, procurando a culpa na Secretaria de Tesouro Nacional, nos ministros A, B ou C, na chefe da Casa Civil, quando na realidade a responsabilidade das contas do Estado do Paraná são do governo e não pode ser transferida a outras pessoas", ressaltou Veneri.
Em artigo publicado na última sexta-feira (24/05), Enio Verri apontou repasses feitos pelo governo federal ao Paraná. Segundo o artigo, no primeiro quadrimestre de 2013 o Paraná recebeu R$ 2,38 bilhões de Transferências Correntes, que engloba o IPI. Em 2012, o valor foi de R$ 2,28 bi. No mesmo período deste ano, a Receita Tributária em repasses foi de R$ 7,89 bilhões, enquanto em 2012 foi de R$ 7,01 bilhões.  Em seu texto, Verri alertou que o Estado está “completamente sem rumo e próximo da falência financeira”.



OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário