quinta-feira, 23 de maio de 2013

Cavaleiros de Rio Azul irão percorrer 1.200 km até Aparecida do Norte/SP



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Radio Najua com reportagem da Rádio Thalento Imagem: Clayton Burgath

Mito, tradição e história. As cavalgadas mantêm um costume da roça e preservam o tradicionalismo gaúcho. É assim que sete cavaleiros de Rio Azul querem demonstrar sua fé em Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. No lombo de burros e mulas eles pretendem percorrer 1.200 quilômetros até Aparecida do Norte/SP.

A tropeada deve durar aproximadamente um mês e tem início no sábado, 25. A concentração dos cavaleiros será em frente à Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus, em Rio Azul. Em seguida, eles partem em direção a fazenda dos Anciutti, em Irati, local da primeira parada, onde o grupo irá pernoitar. Aventura certa seja trotando, a galope ou marchando assim pode ser definida a cavalgada.
Um dos organizadores da tropeada, Quirino Bucco, contou detalhes da peregrinação até o interior de São Paulo, a reportagem da rádio Thalento, de Rio Azul. Ele disse que a ideia de realizar a cavalgada surgiu há dois anos e meio quando o mesmo grupo seguiu até a cidade de São João do Triunfo/PR. Bucco afirmou que a viagem longa e cansativa impossibilita que um número maior de cavaleiros participe da tropeada. Ele destaca que o grupo optou em percorrer o trajeto em burros e mulas porque eles são animais preparados para andar longos trechos. Cada cavaleiro levará dois animais.
Trajeto
Bucco explica que a maior parte do trajeto será feita por caminhos alternativos. “Cavalo com asfalto não combina”, enfatiza. Mesmo no asfalto a cavalgada não deve perder a essência. A viagem deve durar entre 25 e 30 dias. Segundo o organizador, os cavaleiros devem percorrer de 40 a 45 quilômetros por dia. Cada animal participa da cavalgada por um dia e, no seguinte, segue de caminhão, respeitando um rodízio.  “O ser humano e o animal precisam de um tempo de descanso. Temos o dia marcado para sair, mas não vamos atropelar a viagem ou sacrificar ninguém. A gente vai conhecer os lugares e irá percorrer os trechos sem pressa. Pode levar 25, 30 ou 40 dias. Vamos programando de acordo com a viagem”, analisa.
Bucco ainda diz que o grupo está acostumado a realizar cavalgadas. Para ele o cansaço e a longa viagem não serão obstáculos.
Cavaleiros
Além de Quirino Bucco, ainda integram o grupo de cavaleiros de Rio Azul: Mario Cararo, Ronaldo Bucco, Jandir Turski, Nestor Grenteski, Edilson Kruk e Gregório Pelecki. Diego será o cozinheiro e um motorista irá acompanhar os tradicionalistas com um caminhão de apoio. 



OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS

Um comentário:

  1. Os peregrinos são pessoas de fé e a sua peregrinação para a Santa Mãe Nossa Senhora Aparecida será um acontecimento que ira mudar as suas vidas para sempre. |Dificil para eles será encontrar as palavras para expressar a felicidade absoluta que sentiram durante esta aventura espiritual divina.
    Deus proteja os caminhos destes peregrinos do Rio Azul que passarão para a história como cavaleiros da fé paranaense.

    ResponderExcluir