sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

ENTREVISTA - Com prisões para diminuir os furtos em Prudentópolis



Em Prudentópolis, a Polícia Civil está intensificando a fiscalização contra este tipo de crime, conforme relatou o delegado, Osmar Albuquerque, em entrevista ao repórter Elio Kohut
By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Rodrigo Zub (Radio Najua) e reportagem Élio Kohut (Intervalo da Noticias) Imagem: Élio Kohut (Intervalo da Noticias)

O artigo 180 do Código Penal considera como crime adquirir receber, transportar, conduzir ou ocultar, em proveito próprio ou alheio, objetos ilícitos. A pena neste tipo de caso pode chegar até oito anos de prisão em se tratando de uma receptação qualificada, seja no exercício de atividade comercial ou industrial. Porém, apesar do risco muitas pessoas insistem em comprar produtos com procedência duvidosa e acabam respondendo processos na justiça, simplesmente pelo fato de pagar mais barato um determinado bem. Em Prudentópolis, a Polícia Civil está intensificando a fiscalização contra este tipo de crime, conforme relatou o delegado, Osmar Albuquerque, em entrevista ao repórter Elio Kohut. Recentemente uma mulher foi presa acusada de receptação. Segundo o delegado, a suspeita teria adquirido de forma ilícita um televisor LCD 40 polegadas. Albuquerque relata que o aparelho custa em média R$ 2 mil, mas é revendido por valores bem abaixo do mercado, o que estimula as pessoas a concretizarem o negócio. No entanto, ele alerta para o perigo deste tipo de prática, que tem se tornado comum nos últimos anos. “As pessoas que compram produtos de estranhos estão arriscando de perder o dinheiro investido, pois o bem adquirido é devolvido ao proprietário. Além disso, o suspeito é preso e irá responder processo por receptação”, confirma. O delegado solicita a população para que procure adquirir produtos de origem confiável, essencialmente de pessoas conhecidas. Outra dica é solicitar nota fiscal ou recibo de compra e venda no momento de fechar o negócio, complementa Albuquerque. “As pessoas devem pensar e não comprar simplesmente pelo fato da pessoa ser conhecida ou porque é mais barato. O preço baixo neste caso pode se tornar muito caro para o receptador”,  indica. Albuquerque conta que a Polícia Civil pretende coibir a prática de receptação iniciando um trabalho intensivo de fiscalização. “A principal medida será cumprir mandados de busca e apreensão em residências suspeitas. A ideia é coibir este tipo de crime”, diz o delegado. De acordo com ele, a onda de furtos de residências, arrombamentos e assaltos diminuiu em Prudentópolis, depois que um jovem foi preso há cerca de duas semanas. Acusado de ser o principal autor desses tipos de crimes, o adolescente é conhecido no âmbito policial e reincidente. Albuquerque explicou ainda como funciona a lei em casos envolvendo menores de 18 anos. O delegado revela que os jovens serão presos somente em caso de reincidência. Ele diz que os adolescentes com idade entre 12 e 17 anos respondem em liberdade, caso seja comprovado que não houve violência ou ameaça a vítima.“Esse tipo de caso é considerado como ato infracional. Por isso, o jovem não deve ser preso logo de início. Neste caso, o processo é encaminhado para a Vara da Infância. No entanto, se a prática for reiterada ele pode ser efetivamente preso”, afirma. 
Confira a entrevista com delegado Osmar ao repórter Élio Kohut:

Nenhum comentário:

Postar um comentário