segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Prudentópolis e Imbituva e mais 10 municípios foram incluídos na Operação Simbiose contra o desmatamento


By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: INTERVALO DA NOTICIAS Imagem: Policia Ambiental

Cerca de 115 policiais ambientais da 4ª Cia concluíram no sábado (26), a terceira edição da Operação Simbiose. Conforme a Polícia Ambiental – Força Verde, foram seis dias de operação em 12 municípios da Região. Entre eles, Pinhão, Prudentópolis, Reserva do Iguaçu, Rebouças, Cruz Machado, Paulo Frontin, Reserva, Castro, Imbituva, Jaguariaíva, Ortigueira e Mallet.
A operação começou no dia 21 de outubro e terminou no sábado. Entretanto apenas nesta segunda (28), a Polícia Ambiental divulgou o balanço dos trabalhos, a partir de denúncias de crimes ambientais cometidos nesta subárea de atuação. Em especial aos crimes praticados contra a flora brasileira.
Conforme a polícia, foram percorridos 6.109 km no patrulhamento motorizado e abordadas 232 pessoas. Também foram vistoriadas 90 propriedades rurais. Onze delas foram embargadas em razão da constatação dos crimes ambientais. De acordo com a Polícia Ambiental, também foram vistoriados 20 automóveis, oito caminhões, sete motos e dois maquinários agrícolas.
Continua depois da publicidade
BALANÇO DA OPERAÇÃO SIMBIOSE III
Durante os seis dias de Operação, foram autuadas 19 pessoas, com quatro encaminhamentos à Delegacia de Polícia Civil. As autuações foram as seguintes: cinco por crimes em área de preservação permanente; seis por crimes em vegetação primária ou secundária, em estado avançado ou média de mata atlântica; três por cortar ou transformar em carvão madeira de lei; quatro por transporte de produto de origem vegetal sem licença; e dois por impedir ou dificultar regeneração de floresta.
Foram constatados também 12,61 hectares de área desmatada, com apreensão de 67,115 m³ de madeira em tora, 244 m³ de madeira em lenha e 12,753 m³ de madeira beneficiada. Os valores das autuações lavradas até o momento já ultrapassam R$ 500 mil. Entretanto, esse valor pode aumentar após encerrados os atendimentos que ainda estão em andamento.
De acordo com o Capitão Fabiano Gevert, Comandante da 4ª Companhia, “desenvolvemos esta Operação devido ao grande número de denúncias relativas a crimes ambientes cometidos contra a flora brasileira. Faz parte da nossa missão essa fiscalização, e deixamos à população a orientação de que, antes de qualquer modificação na vegetação de sua propriedade, procure orientação técnica, para não vir a sofrer sanções.”
Continua depois da publicidade


OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário