domingo, 25 de setembro de 2016

Família de PG dará volta ao mundo sobre quatro rodas



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: A REDE Imagem: Divulgação

Desapego. Essa foi a palavra usada pelo desenvolvedor de sistemas para a web, Bruno Henrique Gonçalves Lopes, para definir a viagem que ele, a mulher, formada em Biologia, Geisa Bandil Lopes, e a filha de quase dois anos de idade, Beatriz Bandil Lopes, farão a partir de novembro. A bordo de um Land Rover Defender 110, eles pretendem dar a volta ao mundo nos próximos quatro anos. “Acredito que essa seja a palavra ideal, pois tudo que vamos precisar estará dentro do veículo. O restante, que fomos adquirindo durante as nossas vidas, estamos nos desfazendo. O dinheiro da venda será usado para tornar essa viagem uma realidade”, explicou. 
O casal passou dez anos nos Estados Unidos (EUA) antes de se estabelecer em Ponta Grossa, onde a família de Geisa mora. Entre as línguas dominadas além do português estão o próprio inglês e o espanhol. A ideia da viagem surgiu depois que os dois tiveram que interromper um “mochilão” pela América do Sul entre os anos de 2013 e 2014. “No meio do roteiro descobri que estava grávida e comecei a passar muito mal. A Beatriz nasceu e o sonho de rodar o mundo continuou”, conta Geisa.
A experiência promete entrar para a história, já que poucas pessoas no Brasil se arriscam em uma aventura como essa na companhia dos filhos. “Conhecemos apenas uma família do Rio Grande do Sul (RS) que está em um projeto semelhante. Eles estão em viagem com dois filhos – um de seis e outro de oito anos de idade”, detalha Geisa. Com o ineditismo, o nome da expedição não poderia ser outro. “Resolvemos dar o nome a essa viagem de ‘Colorindo o Mundo’. Nossa filha adora pintar. Por onde passarmos daremos mapas para ela colorir. Tudo será documentado em um blog que levará o mesmo nome”, revela Geisa. 
Mesmo com o passaporte em dia, seguro de vida garantido e os documentos do veículo em ordem, antes de cair na estrada, a família participará de dois eventos que servirão de preparatório para a expedição. “São encontros. O primeiro, em outubro, será em Gramado (RS) com proprietários de Land Rover. O segundo será em novembro, na Serra da Bocaina, entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Lá estarão reunidas pessoas que utilizam as barracas de teto. Esse equipamento será usado por nós para dormir durante a viagem. Queremos trocar informações e experiências. Isso nos ajudará no deslocamento”, comenta Bruno.
A viagem para valer começará com uma passada pelo Pantanal, no Mato Grosso do Sul. Depois, a família desce para o Ushuaia, na Argentina. Em território “hermano”, mais especificamente em Buenos Aires, eles despacharão o carro em um container no porto de Buenos Aires. “Daí vamos para a Alemanha. Decidimos seguir pela Europa, pois acreditamos que seja um território mais tranquilo para que nossa filha possa ir se adaptando a aventura”, afirma Geisa. “Nosso roteiro será aberto e dependerá, por exemplo, se eu conseguir algum trabalho. Como minha profissão me permite trabalhar a distância, pretendo seguir fazendo freelancers. Também vamos oferecer serviços em troca de hospedagens. Estou levando um drone e máquina fotográfica profissional. Se for possível, comercializaremos esses materiais”, revela Bruno. Entre os desejos dos viajantes está conhecer a África e a Ásia. 
Questionados se já pararam para pensar como será a vida quando retornarem, a resposta de Bruno surpreende. Mesmo assim, reforça a filosofia de vida que reage a família. “Não sabemos se vamos voltar, ou melhor, para onde vamos voltar. O que queremos é mostrar para nossa filha que o mundo é muito grande e que conhecer outras realidades é surpreendente. A gente só aprendeu a ir”, finalizou.
Carro é preparado desde abril
“Não é só comprar um carro”, alerta Bruno. Segundo ele, o Land Rover da família foi adquirido em abril deste ano. “De lá pra cá foram três meses de muito trabalho. Primeiro eu desmontei ele internamente por completo. Lavei toda a estrutura e comecei o isolamento. Usei feltro, manta aluminizada, manta asfáltica, enfim, tudo o que pudesse garantir mais segurança e conforto, mesmo em um carro mais antigo, de motor puro, sem muita elétrica”, disse. Tanto Bruno, quanto Geisa, também participaram de cursos de mecânica básica. “Agora estamos finalizando os armários”, destaca Bruno. “Aí só falta instalar os equipamentos. Teremos um banheiro químico, uma geladeira e uma máquina de lavar. Esse será meu luxo. Até porque, estaremos viajando com uma criança”, completa Geisa. “A ideia é se manter com o carro. Se não der, vamos ficar em hostel e até mesmo em hotel. Quanto mais nos mantivermos dentro do veículo, sobrevivendo dos recursos dele, mais barato fica a viagem”, finaliza Bruno.
Loucos ou ricos?
Vocês são loucos ou ricos? Essa é a pergunta que o casal mais ouve ultimamente quando comenta da experiência que está por vir. “Até a gente achava que seria um pouco de loucura. Nós duvidávamos até começar a pesquisar. Posso dizer hoje que seria uma loucura controlada, com o mínimo de risco possível. Estamos levando nossa filha junto”, relata Bruno.
 
OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário