quinta-feira, 24 de novembro de 2011

NOVOS CAMINHOS PARA O PARANÁ CLUBE EM 2012


No dia 23 de abril deste ano o Paraná viveu o pior dia de sua história. Após o empate por 2 a 2 com o Arapongas, na Vila Capanema, foi rebaixado para a Segunda Divisão do Paranaense – resultado mantido pelo STJD na terça-feira. Sete meses após a queda no Estadual, cinco jogadores revivem com o clube o drama de ter a corda no pescoço. Quase todo o elenco foi reformulado. Mas o lateral-esquerdo Lima, o volante Serginho, o goleiro Thiago Rodrigues, o za­­gueiro Luciano Castán e o meia Douglas Packer ficaram para contar a história e alertar os companheiros para evitar que o trágico ano não se transforme em catástrofe total. Eles ressaltam o que precisa ser mudado para impedir o segundo rebaixamento na temporada. “A resposta é muito simples: temos de ganhar. Não tem mais nada para ser feito de diferente”, afirmou o volante Serginho. No fatídico jogo do descenso, os 3.500 torcedores que compareceram à Vila Capanema foram surpreendidos por um gol adversário logo aos 6 minutos de jogo. O meia Wellington, hoje jogador do Paraná, abriu o placar e aumentou a pressão sobre o Tricolor. Antigo algoz, o meia promete passar confiança aos companheiros para evitar um novo sufoco. “Eles precisam ter calma e tranquilidade. Se nós nos impusermos desde o início, a vitória vai vir”, garantiu o jogador. Lesionado, ele jogou pela última vez na vitória por 2 a 0 sobre o Boa, dia 30 de agosto. Para o goleiro Thiago Ro­­drigues, que falhou no gol do rebaixamento estadual, a má experiência do início do ano vai servir de lição. “Acabou sendo um aprendizado. Fiquei muito mal, ninguém gosta de cair. Consegui dar a volta por cima e, se pudesse entrar com 12 jogadores, eu jogaria para ajudar”, ressaltou o atual reserva de Zé Carlos.
O cenário é mais tranquilo desta vez. Diferentemente do Paranaense, quando precisava vencer e ainda torcer por um tropeço do Rio Branco, agora um empate garante a permanência na Série B. Além disso, se ASA, São Caetano ou Icasa não vencerem seus jogos, mesmo com uma derrota, o Tricolor se livra da queda.
Apesar disso, os jogadores dizem pensar apenas na vitória. “São campeonatos e jogadores diferentes, mas o espírito é o mesmo. Temos de estar concentrados, pensando somente nos três pontos”, afirmou o lateral-esquerdo Lima, outro remanescente do fatídico 23 de abril.
By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: CÍCERO BITTENCOURT (gaZETA DO pOVO) Foto: Gazeta do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário