quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Entenda o projeto da Usina Dois Saltos, em Prudentópolis


By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: RADIO CULTURA Imagem: Rádio Cultura

A construção da Usina Dois Saltos, no Rio dos Patos, em Prudentópolis, está em andamento. Como mostramos em outras reportagens há controvérsias sobre o empreendimento. Nessa vamos apresentar detalhes sobre o projeto, visitado pela equipe da Rádio Cultura na última terça-feira (19).
Pelo projeto que está em execução parte da água do Rio dos Patos será desviada por um túnel. A escavação começa cerca de 1 km antes da cachoeira Salto Manduri. A água desviada vai percorrer cerca de 2 km por um túnel de 5,80m de altura por 5,30m de largura. Em alguns pontos o duto poderá chegar a 60 metros de profundidade.
Continua depois da publicidade
O túnel termina depois de uma segunda cachoeira, o Salto Rio Branco, onde ficarão instaladas as duas turbinas com as quais se espera gerar até 30 megawhats de energia elétrica. A diferença de altura entre o ponto de captação e as turbinas é de 114 metros, o que favorece empreendimentos esse tipo. Nesse modelo de usina não há barragem e alagamento de áreas.
A construção do empreendimento está dividida em três canteiros de obras. A reportagem visitou um deles, no exato ponto onde a água do rio dos Patos será desviada para girar as turbinas. Parte do canal já foi escavada, nesse ponto a altura do canal é de cerca de 28 metros. Já o túnel ainda não começou a ser escavado.
Segundo os empreendedores foi necessário suprimir quatro hectares de vegetação para construir a usina.
Quantidade de água
Segundo o Estudo de Impacto Ambiental apresentado pela empresa a “vazão média do rio dos Patos é 23,5 m³/s no local da PCH Dois Saltos”. Entre o ponto de retirada da água e sua devolução para o rio, exatamente onde ficam as duas cachoeiras, a “vazão média do rio será de 10,5 m³/s”.
O limite mínimo de água que deve correr no rio depois do desvio é de 1,3 m³/s. Significa que se a água baixar desse limite a operação da usina deve ser interrompida.
Continua depois da publicidade
Outras usinas
 Além da nova usina outras duas já existem no local há muitos anos. Elas ficam localizadas exatamente nas quedas d’água Manduri e Rio Branco. O estudo de impacto ambiental prevê, no entanto, que elas só podem funcionar se houver disponibilidade de água. Se a vazão do rio estiver baixa as comportas devem ser fechadas e o funcionamento das usinas interrompido.
A Usina Barão do Rio Branco está em funcionamento e gera energia, 2,5 MW, exclusivamente para uma fábrica de papel e embalagens em Ivaí. Já a Usina Manduri está em reforma e vai gerar 1,8 MW. Inicialmente a energia será usada para mover os equipamentos que farão as escavações da nova Usina Dois Saltos.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário