quinta-feira, 21 de junho de 2012

PRUDENTÓPOLIS TEM ESTATIZAÇÃO DO CARTÓRIO CIVIL E AGUARDA ELEVAÇÃO DE COMARCA

Agilidade na tramitação dos processos e um serviço de maior qualidade a população. Com esses objetivos, o Tribunal de Justiça do Paraná concretizou na manhã desta quarta-feira, 20, a estatização da Comarca de Prudentópolis, durante cerimônia realizada no Fórum desembargador Augusto Lobo de Moura. Com a estatização, os serviços desempenhados no Cartório Cível da Comarca passam a ser prestados por servidores concursados do poder judiciário e contratados pelo Tribunal de Justiça. Anteriormente esse trabalho era prestado pela escrivã criminal, Nilde Andrade, que também respondia pelo Cartório Cível. Com a mudança as custas processuais passam a ser destinadas ao próprio Tribunal de Justiça e não mais ao titular do cartório, o que representa uma maior arrecadação e consequentemente a estruturação do poder judiciário. Presente no evento de estatização da Comarca de Prudentópolis, o desembargador, Guilherme Luis Gomes, que representou o Tribunal de Justiça do Paraná, disse que o processo será importante para proporcionar uma prestação de serviço mais rápida, ampla e séria para toda a comunidade. De acordo com ele, o dinheiro recolhido através dos processos judiciais será utilizado para melhoria dos serviços prestados na própria comarca. A contratação de novos servidores e a aquisição de equipamentos de informática foram alguns dos benefícios citados por Gomes, durante entrevista à equipe da Najuá. 
Elevação da Comarca
Outra novidade para os prudentopolitanos, anunciada na semana passada, foi a apresentação de um projeto de lei formulado pelo Tribunal de Justiça para transformar Prudentópolis em Comarca Intermediária, abrangendo as comarcas de Imbituva e Ipiranga.  Desta forma, o Tribunal poderá criar mais uma vara e também designar em breve um novo juiz de direito. Vale destacar que hoje, todos os serviços são prestados pela juíza, Michele Deleczuk, que atende as questões cíveis, criminais, família e eleitoral. “Com mais um juiz haverá divisão de trabalho. Isso vai permitir um serviço de maior qualidade e com mais rapidez”, avalia Gomes. Relator do projeto de elevação que foi encaminhado a Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), Gomes afirma que a mudança de entrância é necessária em função da demanda e do contexto regional da Comarca de Prudentópolis. Se o projeto for aprovado Prudentópolis passará a ser sede da 66ª sessão judiciária que vai atender três municípios: Prudentópolis, Imbituva e Ipiranga. Por esse motivo, está sendo elaborado um plano de obras para que seja ampliado o espaço físico do fórum prudentopolitano. Engenheiros do Tribunal de Justiça estiveram visitando o local na semana passada e já iniciaram os projetos para aumentar a capacidade de atendimento à população. Já está sendo estudada, inclusive a possibilidade de ser destinado um terreno para construção de um novo fórum na cidade.
By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Rodrigo Zub (Radio Najuá) c/ reportagens ÉlioKohut (Intervalo da Noticias)  Imagem:Élio Kohut (Intervalo da Noticias) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário