segunda-feira, 25 de julho de 2016

Crianças sírias seguram figuras de Pokemón na esperança de que pessoas vão lá para salvá-las



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: HYPENESS Imagem: Divulgação

A Guerra Civil Síria já dura mais de cinco anos e meio, tendo deixado mais de 250 mil mortos, segundo a ONU. Muitas das vítimas são crianças, enquanto tantas outras continuam sob risco por causa dos constantes bombardeios. Um grupo de oposição ao governo lançou uma campanha inspirada no jogo Pokemón Go para chamar atenção para o problema.
O Exército Livre da Síria, através do órgão de imprensa das Forças Revolucionárias Sírias, divulgou imagens de crianças do país segurando cartazes com fotos de Pokemóns e pedindo para serem salvas. Escritas em árabe estão frases como “Estou em Kafr Nabl, venha me resgatar”.
Um dos responsáveis pelo veículo de comunicação disse ao The Independent que “a cobertura midiática sobre o jogo os fez publicar as imagens para destacar o sofrimento do povo sírio por causa dos bombardeios comandados pelo presidente Bashar al-Assad”.
As imagens foram publicadas um dia após ataques aéreos matarem mais de 50 civis no norte da Síria, entre várias mulheres e crianças. Ainda segundo o porta-voz das Forças Revolucionárias Sírias, “as crianças do país estão pagando o preço pela inaptidão internacional para conter a máquina de mortes de Assad”.
As imagens foram publicadas um dia após ataques aéreos matarem mais de 50 civis no norte da Síria, entre várias mulheres e crianças. Ainda segundo o porta-voz das Forças Revolucionárias Sírias, “as crianças do país estão pagando o preço pela inaptidão internacional para conter a máquina de mortes de Assad”. 
MATÉRIAS RELACIONADAS:
'Pokémon Go' é liberado para iPhones e smartphones Android.
Assaltantes usam mapa de Pokémon Go para criar emboscadas.
Sujeito perde a namorada depois dela descobrir que ele capturou um Pokémon na casa da ex.
Homem pede demissão para poder sair por aí capturando todos os Pokemóns.
Servidores de "Pokémon Go" começam a ser ativados no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário