sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Vereadora de Pinhão fala depois se sua cassação



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Harald Essert (Diário Agora) Imagem: Divulgação


A ex-vereadora de Pinhão Solange Adronski, que perdeu o mandato após sessão de julgamento realizada na última sexta-feira, 14, afirma que o processo de cassação ocorreu por perseguição política, uma vez que ela era a líder da situação na câmara. Ontem, ela entrou com pedido de liminar para tentar reocupar sua cadeira no legislativo municipal. Segundo Solange, há vários fatos que comprovam a perseguição. Ela afirmou que na noite do último dia 10, segunda-feira, logo após a sessão ordinária na qual foi marcada sua sessão de julgamento, alguns vereadores da oposição foram à sua casa e pediram que ela não comparecesse à câmara na sexta-feira. “Disseram para eu fingir doença ou forjar um atestado para que eu não precisasse comparecer à sessão de julgamento, porque assim eles não teriam que me cassar injustamente”. Em sua opinião, aquela foi uma tentativa de coação. “Tentaram fazer com que eu me acovardasse, mas eu compareci ao meu julgamento político e fiz a minha própria defesa, que durou duas horas. Mas, claro, nada do que eu dissesse poderia mudar o que já estava acordado, de que eu deveria ser cassada”. De acordo com Solange, os vereadores sequer ouviram as testemunhas que haviam sido arroladas pela acusação. “Tal era a pressa de tirar meu mandato”. Solange acredita que a motivação tenha sido eleitoreira, uma vez que a maioria da câmara é de oposição ao atual prefeito. “Como eu sou a líder da situação, quiseram prejudicar através de mim a imagem do prefeito e do seu candidato à sucessão”, acrescentou a ex-vereadora, que entrou com pedido de liminar e espera voltar à câmara ainda antes do fim da atual legislatura.



Nenhum comentário:

Postar um comentário