sábado, 29 de setembro de 2012

Motorista fica preso mais de duas horas nas ferragens e sobrevive



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Gilmar Angelo (Portal Rondon) Imagem: Portal Rondon


Um grave acidente de trânsito foi registrado por volta das 17h45 desta sexta-feira (28), no Km 310 da rodovia BR 163, próximo ao Posto Sabiazinho, entre Mercedes e Guaíra.No local, uma carreta bi-trem Scânia carregada com farelo de milho, seguia pela rodovia no sentido Guaíra/Marechal Rondon, e em uma curva, acabou caindo em um barranco às margens da rodovia, após o condutor perder o controle da direção. O condutor, identificado como Alex Andrigo, 32 anos, morador de Xanxerê/SC, ficou preso na cabine da carreta, prensado nas ferragens e com o corpo virado para baixo, ficando com a cabeça rente ao solo. Devido ao estado da destruição, era difícil acreditar que alguém havia saído com vida do acidente. Equipes do Corpo de Bombeiros, Policia Rodoviária Federal, além de vários populares e uma equipe do BPFron que passava pelo local, iniciaram o resgate com auxilio de enxadas  e pás, cavando o solo para ter acesso ao motorista, que estava consciente e conversava com as equipes. Um médico também esteve no local auxiliando e verificando constantemente a situação da vítima.
Devido à dificuldade para a remoção do homem, um guincho chegou a ser acionado para que a carreta fosse levantada a alguns metros de altura, liberando espaço para o trabalho dos socorristas, mas ao iniciar a tentativa, houve o risco de que o guincho tombasse, o que tornaria a situação ainda pior. O plano foi abortado e as equipes voltaram a cavar o solo. Aos poucos, as ferragens da cabine foram sendo cortadas, liberando as pernas do motorista que estavam completamente presas.  Com persistência e cautela, os socorristas conseguiram remover a vítima das ferragens, já a noite, por volta das 20h15, cerca de duas horas e meia após o início do resgate. Alex foi socorrido e ainda consciente encaminhado à Unidade de Saúde 24 Horas. Segundo avaliações iniciais, ele sofreu fratura no tórax, além de ferimentos generalizados sem gravidade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário