terça-feira, 4 de abril de 2017

Celebração reúne mais de 2.300 missionários em Ivaí



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: A REDE Imagem: Divulgação


O menor Setor em número de paróquias. A maior quantidade de missionários da Diocese de Ponta Grossa. Em uma cerimônia simples, mas pensada nos mínimos detalhes, o povo de Ivaí, Imbituva, Ipiranga e Guamiranga mostrou toda a sua devoção no quinto envio missionário, ocorrido neste domingo (2), no Salão da Paróquia Cristo Rei, em Ivaí.
Mais de 2.300 pessoas lotaram o pavilhão da igreja em uma celebração alegre e colorida, animada por 30 gaiteiros e violeiros. A unção e envio envolveu os missionários do Setor 6, vindos das paróquias Menino Jesus, de Guamiranga; Santo Antônio, de Imbituva; Nossa Senhora da Conceição, de Ipiranga, e, Paróquia Cristo Rei, de Ivaí, e lançou o Programa Comunidade Samaritana na região.
Dentro do Salão, sentadas, estavam 1.670 pessoas e, fora, em um anexo montado com bancos e toldos, outras 600, além das dezenas de missionários que preferiram o vasto jardim da matriz.  Desde a acolhida, feita por 30 gaiteiros e violeiros, o que se viu foi muita animação. Cerca de 300 pessoas trabalharam na organização, orientando a todos que chegavam, entregando os kits missionários.
“Mas, durante a semana, foram mais de 500 nos ajudando”, informava Vila Kaspchak, uma das coordenadoras. Um telão e uma ambulância foram disponibilizados para oferecer mais segurança e comodidade a todos. No pavilhão, detalhes chamavam a atenção: faixas de boas-vindas. Na cabeça e nos braços dos missionários, panos coloridos identificavam a comunidade de cada um.
O pároco da Cristo Rei, José Bacheladenski, padre Zezinho, se dizia muito feliz com o resultado da celebração. “Organizamos tudo com a ajuda de muita gente, nos esforçamos para que o momento fosse da importância e da beleza que foi. Só tenho a agradecer que ajudou”, dizia, citando que os representantes do Setor se reuniram e dividiram as tarefas. “Ivaí ficou com toda a parte da estrutura, do pavilhão, do lanche, som, telão”, acrescentou. As visitas, segundo ele, começam a partir de maio e serão por grupo de famílias. “Fizemos uma adaptação por ser uma região rural e, na época da lavoura, missionário não tem tempo disponível para ir em três, quatro famílias e fazer reunião. Vai visitar em pequenos grupos”.
O bispo dom Sergio Arthur Braschi destacou a força da Igreja. “Foi muito bonito ver esse lugar cheio como estava, de gente que se esforçou para estar aqui e se emocionou. Esses envios são momentos de redescoberta da vocação batismal, que é de ser missionário.
Todo cristão pelo Batismo torna-se missionário, deve anunciar Jesus aos que não o conhecem”, ressaltava. Para dom Sergio, a celebração dentro de toda a caminhada da Igreja Samaritana, da prioridade diocesana, foi mais uma cerimônia especial. “Uma celebração muito bela, que deixa o coração do bispo e todos que vieram muito felizes por ver tantas pessoas recebendo a missão, sendo ungidas e se tornarem servidoras e, assim, saírem, começarem essa missões permanentes na Diocese. Peço que Deus abençoe”.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário