segunda-feira, 12 de junho de 2017

Casal constrói casa biossustentável com as próprias mãos no Oeste de SC



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: G1 Imagem: Eveline Pôncio (RBS TV)

Com barro, madeira de reflorestamento e até galhos de árvores, um casal de Guaraciaba, no Oeste catarinense, construiu uma casa biossustentável. Além de ficar em harmonia com a natureza, a família também economizou: eles estimam um gasto de R$ 60 mil, quatro vezes menos do que exigiria uma moradia convencional, como mostrou o Jornal do Almoço deste sábado (25).
A construção, a poucos quilômetros da área urbana, chama a atenção de quem passa por ali. "No início foi um certo pé atrás. 'Como assim de barro? Essa casa vai cair'. Muita gente ficou duvidando", conta a musicista Letícia Sanzovo.
"Aí a gente foi mostrando, foi falando, e quando a gente começou a construção o pessoal começou a ver que realmente ia dar certo. A família veio ajudar, os amigos vieram, até desconhecidos, e aí a coisa fluiu", lembra a moradora.
O marido, o técnico agrícola Ricardo Scalco, diz que a ideia inicial era ter uma casa confortável, ecologicamente correta e em harmonia com o meio ambiente, com materiais disponíveis no próprio entorno. "A bioconstrução trouxe todas essas possibilidades, até a de construir a nossa casa com as próprias mãos. Foi esse o grande motivador pra nós", conta.
Tijolos reaproveitados
O barro usado nas paredes veio do terreno ao lado, e as madeiras de eucalipto e pinus, do reflorestamento feito pelo pai do Ricardo na propriedade. Os tijolos, pedras e aberturas são reaproveitados de demolição.
A maioria dos móveis também é de reaproveitamento ou foi construída por eles, como a cama do casal, toda feita com galhos de árvores.
Até a casa ficar pronta, foram três anos de estudos, pesquisa e muita "mão na massa". "Um ano dedicamos ao conhecimento e outros dois anos à construção, mesmo", lembra Ricardo.
"Para encontrar a mistura correta do barro nós fomos estudando as misturas, fizemos umas sete misturas até que nós encontramos a mistura correta que fosse bem estável, seguro para gente construir a casa", diz o morador.
Casa fresquinha
De convencional há apenas a ligação elétrica e hidráulica. O telhado verde ajuda a manter a temperatura sempre estável dentro da casa. No verão, varia entre 20 e 21°C, e no inverno não baixa dos 17°C.
O aproveitamento dos espaços também chama a atenção. Em uma das paredes de barro foi construído uma espécie de armário para guardar mantimentos.
"O conceito é viver bem em harmonia com o meio ambiente, é basicamente isso eu a gente buscou e conseguiu", diz Ricardo. "A gente prima pela qualidade de vida, quando chega em casa do trabalho a gente se sente muito bem na nossa casa, a gente gosta de receber as pessoas queridas que nos ajudaram a realizar esse sonho", lembra Letícia.
Futuras gerações
Recentemente a casa ganhou um novo morador, o pequeno Ícaro, primeiro filho do casal, de apenas três meses. "A ideia da casa é que dure por muitas gerações do Ícaro, e mais à frente. É isso o que a gente espera", diz Letícia.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário