quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

SUSPEITO DE TER MATADO A RACHEL DEIXADA NA RODOVIARIA DE CURITIBA É PRESO

Alguns suspeitos de estupro presos desde que Rachel Genofre foi encontrada morta com sinais de violência sexual numa mala na Rodoviária do Paraná, em cinco de novembro de 2008, foram apontados como possível autor do crime. Mas desta vez, pode ser diferente: “Existem várias semelhanças”, enfatizou a delegada Vanessa Alice do Cope, quanto à prisão de Cristiano Gonçalves, de 25 anos. A morte de Rachel e o crime cometido pelo suspeito no último final de semana, na cidade de Santa Izabel do Oeste, interior do estado, realmente são parecidos. Segundo a polícia, na madrugada de sábado, o suspeito raptou a criança da casa da família, no bairro Alto da Colina, e a levou para a casa dele. Depois de violentá-la sexualmente, o acusado esganou o pescoço da criança, asfixiando-a com um travesseiro. Por último, Cristiano escondeu o corpo em uma mala de roupas. A morte de Rachel seguiu praticamente a mesma linha de tempo e, por esse motivo, uma equipe do Cope (Centro de Operações Policiais Especiais) foi nesta quarta-feira (25) até a cidade interiorana colher matérias genéticos do rapaz.
Apenas semelhanças?
A delegada Vanessa Alice, responsável pelas investigações do caso, ficou surpresa com as semelhanças. “O que nos surpreende é que desde a morte da Rachel não havia acontecido um crime tão parecido, por isso a hipótese não está descartada. Normalmente o maníaco age com os mesmo modos operantes e o crime do final de semana e o da Rachel tem características que batem”, apontou a delegada. Vanessa Alice destacou que colher a amostra de DNA é importante, pois foi deixado material genético no corpo de Rachel e, caso o teste de positivo, ficará evidenciado que Cristiano é o autor do crime. “Será a prova chave. Muitos questionam que o rapaz não bate com o retrato falado, mas na verdade é apenas com o primeiro, tivemos outros retratos e existem semelhanças”, garantiu. Outro ponto que pode aumentar a possibilidade de Cristiano ter sido o responsável pela morte de Rachel é o fato dele ser morador de Joinville. “Ao deixar a mala na Rodoviária, ele embarcou direto para a cidade catarinense. Ele alega que nunca veio à Curitiba, mas não acreditamos, até por ser uma rota para viajantes”, decretou. Após o recolhimento do DNA, o teste será realizado em Curitiba para saber se o material genético de Cristiano bate com o do responsável pela morte de Rachel. Enquanto isso, o suspeito segue detido na Delegacia de Realeza.



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: luiz Henrique de Oliveira (Radio Banda B) – Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário