quinta-feira, 16 de março de 2017

Depois de emocionar paranistas, torcedora recebe visita ilustre de jogador do Tricolor



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: TRIBUNA DO PARANÁ Imagem: Divulgação

Quando se fala que o futebol não é apenas um esporte, muitos criticam. Mas e quando o futebol serve como um motivador para alguém superar barreiras? Na semana passada, uma torcedora do Paraná deu essa lição para todo o mundo. A imagem de Itauana Morgenstern, 34 anos, na Vila Capanema, durante a vitória do Paraná sobre o Bahia foi emblemática. Ela deixou os tricolores comovidos pela sua luta para ver o time do coração, quarta-feira (8) à noite. Em um dia, ganhou quase dois mil novos fãs no Facebook (veja postagem).
Itauana sofre de uma doença grave que ataca os órgãos internos – Esclerodermia Sistêmica Sine Scleroderma, que causou hipertensão arterial pulmonar e fibrose pulmonar. Por conta do problema, perdeu 50% da capacidade respiratória do pulmão esquerdo e 30% do direito.
Foi ao Durival Brito, assim mesmo, ao lado do marido, Nelson Morgenstern Junior, e um tubo de oxigênio (aproximadamente 8 kg). Seu sistema imunológico é baixíssimo e não seria aconselhável se expor em aglomerações. Emocionada com o momento marcante na vida, publicou uma foto tirada por um primo na rede social. Bombou!
A operação para voltar ao estádio, coisa que não ocorria pelo menos durante os últimos seis meses, quando descobriu seu problema, foi minuciosa. Ela comprou ingresso para o jogo sábado de carnaval, pois de dia teria menos riscos. Apesar do adiamento e os receios, não recuou.
“Mesmo com a previsão do tempo não indicando chuva, levamos todo o aparato para nos previnir. Deixei a Vila com máscara e fiquei em um setor mais isolado”, conta a paranista. “Sempre fui atuante com o clube, participava de eventos e até entrei com os jogadores em campo”, lembra a moça, que trabalha como analista financeira. “A partir de agora vou em todos os jogos”, avisa.
Itauana virou de fato símbolo da possível guinada paranista nesta temporada. No fim do ano passado ficou perto da morte, 18 dias na UTI, até descobrir seu problema médico. “É uma doença autoimune, não tem cura. Cada hora que passo sem precisar de oxigênio extra é uma vitória. E mesmo diante das dificuldades, nunca tirei o Paraná da cabeça e a emoção de voltar ao estádio foi boa demais para mim”, finaliza ela, desde já a torcedora mais querida entre os tricolores.
Visita especial
Depois da imagem rodar na internet, Itauana recebeu uma visita especial. O meia Guilherme Biteco foi até a casa dela e lhe deu como presente uma camisa do Tricolor.
“Visita ilustre!. Maior felicidade aqui em casa com a visita do jogador Guilherme Biteco! Queridíssimo! Não tenho palavras pra agradecer o presente e a oportunidade de conhecê-lo!”, postou ela nas redes sociais.
“Prazer conhecer esses 2 guerreiros, obrigado por abrir as portas da casa de vcs, linda história de vida, ganharam um admirador da superação de vcs… até a próxima”, escreveu Biteco em sua conta pessoal no Facebook.
Rapidamente as duas postagens foram compartilhadas pelos paranistas, que cada vez mais se emocionam com o meia, que em novembro do ano passado perdeu o irmão Matheus no acidente aéreo da Chapecoense.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário