segunda-feira, 27 de março de 2017

Clubes pedem a paralisação dá 1ª Divisão do PR

By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: RPC – Imagem: Divulgação
O caso Getterson, do J Malucelli, pode ganhar mais um capítulo nos próximos dias e parar o Paranaense. Clubes que estão em risco de rebaixamento no estadual (como o PSTC, o Toledo e o Rio Branco-PR) e o Foz do Iguaçu (que briga pela classificação) planejam entrar até terça-feira com uma medida cautelar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pedindo a paralisação do campeonato.
A intenção é de que as quartas de final do estadual não comecem antes do julgamento definitivo do caso. Após a decisão pela absolvição do Jotinha na perda de 16 pontos pela irregularidade na escalação de Getterson, a procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) fez o pedido de recurso para que o caso fosse analisado pelo STJD.
O novo julgamento ainda não tem data para acontecer e depende do julgamento de embargos de declaração, pedido pelo J Malucelli, que está marcado para a próxima quinta-feira, no TJD-PR.
– Estamos estudando essa possibilidade (de pedir a paralisação do campeonato). A gente não entende como o TJD-PR pode aceitar o que foi feito pelo JMalucelli. Nós deixamos várias vezes de escalar jogadores importantes por causa da transferência internacional. Isso pode abrir um precedente sem tamanhos, inviabilizando até o BID (Boletim Informativo Diário da CBF) – comentou Thiago Campos, presidente do Rio Branco-PR, décimo colocado, uma posição acima da zona de rebaixamento.
O JMalucelli é o quarto colocado, com 19 pontos, mas com a punição, ficaria com apenas três pontos, na lanterna da competição. Segundo os clubes, o julgamento do recurso pode mudar toda a classificação e os confrontos das quartas de final. Por isso, eles pedem a paralisação da competição até que o caso seja definido no STJD.
– Isso altera quem vai disputar o mata-mata, quem será rebaixado e quem escapa. Entendemos que não há como o campeonato continuar antes dessa decisão – explicou Arif Osman, presidente do Foz do Iguaçu, atual oitavo colocado, dentro da zona de classificação.
Segundo o procurador-geral do TJD-PR, Gilson Goulart, a intenção da procuradoria era que o julgamento do recurso fosse realizado no STJD antes do início das quartas de final. Porém, o processo ficou paralisado com o pedido de embargos feito pelo J Malucelli.
– A procuradoria entrou com os pedidos para que o recurso fosse julgado o quanto antes. O julgamento dos embargos, que está marcado para quinta-feira, não vai mudar a decisão do TJD-PR, é algo complementar. Mas é preciso aguardar esse procedimento para que o processo tenha andamento – apontou Goulart.
 
 
OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário