sexta-feira, 31 de março de 2017

Áudios e documentos podem comprovar a prática de crimes pelo ex-prefeito de Ipiranga



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: RPC Imagem: Divulgação


A Polícia Civil possui áudios e documentos que podem comprovar a ligação do ex-prefeito de Ipiranga, nos Campos Gerais do Paraná, Roger Selski, em vários crimes. Ele foi preso na manhã de quinta-feira (30).
A suspeita de envolvimento do ex-prefeito em um esquema de agiotagem aumentou depois da prisão de um homem que se passava por policial e aplicava golpes na região. Segundo as investigações, Igor Henrique Teixeira da Luz foi contratado pelo ex-prefeito de Ipiranga para a realização de vários serviços.
“Foi um falso policial que prendemos há uma semana. Ele foi contratado pelo Roger para realizar uma série de delitos. Especificamente, o suspeito foi contratado para realizar a cobrança de cheques oriundos de agiotagem. Como ele se passava por um policial, a cobrança seria realizada diante de ameaças contra as vítimas para forçá-las a pagar os altos juros. Atividade típica de agiotagem”, esclareceu o delegado Guilherme Dias.
Roger Selski foi preso em Ponta Grossa, no apartamento onde mora. Com ele foram apreendidos documentos, celulares e computadores. O ex-prefeito foi preso pelos crimes de extorsão, lavagem de dinheiro e agiotagem.
De acordo com a Polícia Civil, há pelo menos dois anos Selski emprestava dinheiro para as pessoas, e era o falso policial que fazia a cobrança de valores muito mais altos. Em um dos casos, o empréstimo foi de R$ 20 mil, mas a dívida já estaria em R$ 75 mil.
“Temos alguns documentos que mostram a cobrança abusiva de cheques, planilhas de cobrança abusiva de juros, temos áudios de conversa entre o ex-prefeito e a pessoa que ele contratou para praticar todos os crimes, além da confissão do co-autor do crime”, pontuou o delegado.
Em outra situação revelada pela polícia, o ex-prefeito estaria cobrando propina de um colega para facilitar a liberação de um trailer de transporte de animais com chassi alterado e que está apreendido. 
Com a quebra de sigilo de dados, a polícia teve acesso a telefonemas entre Selski e essa pessoa. Eles negociam como poderia ser feita a liberação ilícita do trailer.
Roger Selski: “Se nós conseguirmos quebrar esse troço aqui dá para ganhar uns trocos. Veja lá se você consegue, pelo menos liberar esse trailer aí, sei lá”
Roger Selski: “Nós não conseguimos fazer um jeito que ‘nós consiga’ livrar também o trailer. Eu acho que nós ‘arrancamo’ o dinheiro dele. Viu, quanto o mínimo que o cara ‘faiz’, assim, pra ‘nóis’ resolver a bronca. Menos você acha que o cara não ‘faiz’?”
A polícia ainda investiga uma suposta encomenda de homicídio. Roger Selski teria oferecido R$ 20 mil a Igor da Luz para matar o promotor de Ipiranga, que apura irregularidades durante o mandato do ex-prefeito.
“De fato se tratava de um desafeto, e a proposta foi confirmada pelo co-autor do crime que se recusou a cometer esse delito”, disse o delegado Guilherme Dias.
A investigação ainda está em andamento e a polícia precisa esclarecer se há mais pessoas envolvidas no esquema e qual é a origem do dinheiro usado para a agiotagem. A prisão do ex-prefeito é por tempo indeterminado.
Outro lado
Roger Selski nega as acusações. “Eles estão querendo de alguma forma me incriminar. Não estou dizendo a polícia, alguém de alguma forma quer me incriminar. Com certeza isso tem ligação política”, enfatizou o ex-prefeito de Ipiranga.
O advogado do ex-prefeito, Fernando Madureira, informou que entrará com um pedido de habeas corpus nesta sexta-feira (31).
Escute aqui. 
MATÉRIA RELACIONADA:
Ex-prefeito de Ipiranga é preso suspeito de agiotagem, extorsão e lavagem de dinheiro, diz polícia.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário