segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Juíza nega prisão de investigadora que, irritada com barulho de festa, matou copeira em Curitiba



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: BANDA B Imagem: Divulgação

A juíza Ana Carolina Ramos negou pedido de prisão contra a investigadora policial que atirou da janela da casa dela irritada pelo barulho de uma festa que ocorria ao lado. O tiro matou a copeira Rosária Miranda, de 44 anos, que estava na festa e passou nove dias no hospital até falecer neste domingo (1º). Ela teve perda de massa encefálica com o tiro e caiu diante dos amigos perplexos.
Na decisão do dia 30 de dezembro, publicada neste domingo, a juíza diz que, tendo em vista a presunção da inocência, a prisão seria excepcional, antes da tramitação do processo.
O pedido de prisão da investigadora havia sido feito pelo delegado Fábio Amaro, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Amaro alega que está com dificuldades de ouvir testemunhas porque muitas, algumas vizinhas da investigadora, estariam com medo de depor contra a policial. O delegado ainda cita no pedido o risco de descrédito da Justiça com a liberdade da autora do homicídio.
Porém, a juíza afirma que não há fato que comprove que as testemunhas estejam sendo ameaçadas pela investigadora e que ela se apresentou às autoridades de forma voluntária. 
MATÉRIAS RELACIONADAS:
Irritada com barulho, investigadora do Nucria atira contra festa e atinge mulher na cabeça.

Copeira atingida com tiro na cabeça de investigadora não resiste e morre no hospital.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário