sábado, 3 de dezembro de 2016

LaMia fez quatro voos no limite da capacidade nos últimos seis meses



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: DIÁRIO CATARINENSE Imagem: Divulgação


Aos poucos surgem mais informações que indicam falha humana no planejamento do voo que levava o time da Chapecoense a Medellín, na Colômbia. A viagem no limite da capacidade da aeronave LMI-2933, realizada pelo piloto Miguel Quiroga, classificada como "irresponsável" pelo especialista em segurança de voo Carlos Camacho, repetiu-se em outras quatro oportunidades nos últimos seis meses. Foram voos que superaram o tempo de autonomia do avião. A pequena margem de erro que Quiroga se dava encontrou um imprevisto na noite de segunda-feira, em Medellín, e resultou na morte de 71 pessoas, incluindo ele.
A LMI 2933, modelo britânico Avro RJ 85, tem autonomia para 4h22 de voo, ou 2.985 quilômetros. Além disso, de acordo com códigos internacionais de segurança, os pilotos ainda devem ter no mínimo 30 minutos de combustível além do necessário para realizar uma viagem. São esses limites e cuidados que foram ignorados pelo piloto, conforme demonstram relatórios preliminares da investigação sobre o acidente em Medellín e também o histórico dos últimos 83 voos da aeronave da empresa boliviana, disponibilizado pelo FlightRadar24, site especializado em tráfego aéreo.
Confira aqui mais detalhes. 
MATÉRIAS RELACIONADAS: 
Avião que transportava delegação da Chapecoense sofre acidente na Colômbia.
 
"Aeronave reportou falhas elétricas", diz comunicado do aeroporto da Colômbia.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Controladora de voo que conversou com piloto antes do avião da Chape cair faz desabafo.

Anac revela que a companhia aérea LaMia teve quatro voos negados no Brasil.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário