segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Após recomendar alfafa a manifestantes, Requião diz que não recua em projeto



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: UOL Imagem: Beto Barata (Agência Senado)


Depois de criticar as manifestações em defesa da Lava Jato no domingo (4) e de recomendar alfafa para os manifestantes, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) afirmou na manhã desta segunda-feira, 5, que não vai "frouxar" diante das críticas e que é preciso continuar combatendo o abuso de autoridade de promotores, juízes, delegados e fiscais de Estado.
"Eu recomendo alfafa, muita alfafa. In natura ou como chá. É própria para muares e equinos, acalma e é indicada para passeatas nonsense", escreveu o senador em seu perfil no Twitter, no domingo.
Na manhã desta segunda-feira, Requião fez uma transmissão ao vivo pelo Facebook e chamou a publicação de "alfafa, ironia e a necessidade da democracia". Ele destacou que havia tratado o assunto das manifestações com ironia e que foi atacado por suas publicações. "Eu não vou frouxar, peço a vocês que me assistem agora que não frouxem, não cedam, dureza contra a corrupção. Jamais vou aceitar o autoritarismo do fascismo, do nazismo ou do entreguismo que querem acabar com a soberania nacional", afirmou.
O senador disse que a manifestação que ele iria era a do Rio de Janeiro, por causa dos escândalos que abateram ex-governadores da sua sigla. 
"Vergonha"
Requião é relator do projeto no Senado que criminaliza o abuso de autoridade praticado por agentes públicos, uma das propostas atacadas pelos protestos e que é visto como ameaça às investigações da Justiça. Em Curitiba, seu berço eleitoral, o senador e ex-governador foi um dos alvos da manifestação em frente à sede da Justiça Federal, local de trabalho do juiz Sérgio Moro. Faixas com a foto dele e da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) eram levantadas com a frase "Eles são a vergonha do Paraná".
O senador voltou a criticar as manifestações e disse que "felizmente" foram "muito pequenas". Ele frisou que defende a continuidade da Operação Lava Jato, mas direcionou críticas à força-tarefa da operação. "Não me imaginem contra uma operação como a Lava Jato. Aquela rapaziada do Ministério Público, o juiz Moro, prestaram trabalho monumental à sociedade. Mas eles estão equivocados quando se acham os melhores do mundo e querem se sobrepor à lei". O senador afirmou que seu posicionamento pode até custar um futuro mandato eleitoral, mas que preza pela "saúde democrática do país".
Requião pretende incluir na terça-feira, 6, na Ordem do Dia do plenário a votação de seu parecer sobre o projeto. Na internet, ele divulgou a versão de um substituto à lei propondo que não caracterize abuso de autoridade ato praticado com "avaliação aceitável dos fatos" desde que não contrarie e literalidade da lei. Também acrescentou no projeto a punição a agentes que decretarem a condução coercitiva de testemunhas ou investigados "desnecessariamente ou sem prévia intimação de comparecimento ao juízo". 
MATÉRIAS RELACIONADAS:
Câmara altera pacote anticorrupção e inclui punição a juízes e promotores.

Câmara aprova pacote anticorrupção sem anistia, mas desafia Lava Jato.

Lava Jato contra-ataca e ameaça renúncia coletiva.


PSDB foi o principal articulador de urgência de pacote anticorrupção.

'Não podem legislar em causa própria', diz presidente da OAB a deputados.

 
Renan faz tentativa de votar pacote anticorrupção, mas não consegue.

Requião afirmou que protestos têm movimentos de mentecaptos.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário