segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Vereador quer blitz da Lei Seca na saída da München



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: A REDE Imagem: JM


O vereador Pastor Ezequiel (PRB) usou a tribuna do Legislativo Municipal para fazer uma cobrança polêmica. O parlamentar afirmou que está organizando um ofício pedindo que a Polícia Militar (PM) realize blitz da Lei Seca na saída da Münchenfest. A proposta do parlamentar já recebeu o aval de vários vereadores e será entregue ao comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar (BPM).
Membro da bancada evangélica, Pastor Ezequiel (PRB) ressaltou que a medida é uma forma de “defender a vida” e foi apresentada após inúmeras reclamações de moradores da região. “O trânsito após o final dos shows da festa tem sido caótico, várias pessoas tem reclamado disso e estou querendo proteger a vida das próprias pessoas que bebem e dirigem”, comentou o parlamentar membro da bancada Cristã.
O vereador também questionou a atuação da Guarda Municipal e da Polícia Militar dentro do evento. “Os agentes de segurança estão sendo obrigados a trabalharem dentro de um evento particular, desguarnecendo os locais públicos em detrimento do lucro de um empresário”, disparou o parlamentar. O vereador Pietro Arnaud (REDE), vice-presidente da Câmara, apoiou as demandas apresentadas por Ezequiel.
Ezequiel afirmou ainda que apresentará um projeto de lei (PL) para terceirizar, definitivamente, a Münchenfest. “Essa festa deve ser terceirizada definitivamente e nós não podemos correr um novo risco da Prefeitura assumir a festividade e os prejuízos dessa atividade”, contou o parlamentar.
Consultada via assessoria de imprensa, a organização da 27ª Münchenfest afirmou que não irá se manifestar sobre o assunto. Já o comandante do 1º BPM, Edmauro Assunção, garantiu que a PM tem atuado em blitz da Lei Seca e, além disso, feito patrulhamento nas vias que levam ao Centro de Eventos. Edmauro lembrou que, quando um motorista é flagrado embriagado, a viatura da PM precisa levar o infrator para a Delegacia da Polícia Civil e com isso o poder de “patrulhamento” acaba diminuído.

Quanto a atuação da PM dentro do Centro de Eventos durante a festa, Edmauro lembrou que a München é um evento tradicional no município e que os organizadores pagaram uma taxa de segurança pública. “Nossos policiais estão atuando dentro da legalidade e estamos fazendo a segurança no interior do evento para garantir a integridade do cidadão”, contou o comandante.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário