quinta-feira, 17 de novembro de 2016

STJD aceita pedido do Grêmio, e final da Copa do Brasil volta para a Arena



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: G1 Imagem: Wesley Santos (Agência PressDigital)

O segundo jogo da final da Copa do Brasil entre Grêmio e Atlético-MG será na Arena, em Porto Alegre, no dia 30. Na tarde desta quinta-feira, menos de 24 horas após o julgamento que puniu o time gaúcho com a perda de mando de campo na decisão, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) acatou o recurso do Tricolor e concedeu efeito suspensivo. O julgamento do mérito no Pleno do STJD não tem data para ocorrer e pode ser realizado após a decisão.
A possibilidade de disputar a final contra o Galo longe da Arena se tornou realidade na tarde de quarta, quando a maioria dos auditores da Terceira Comissão Disciplinar do STJD concluiu que a presença da filha do técnico Renato Portaluppi dentro de campo na comemoração da classificação diante do Cruzeiro trouxe "elevada gravidade" ao evento. No julgamento no Rio, o clube foi punido com a pena de perda de um jogo de mando e multa de R$ 30 mil.
Indignado com o resultado do julgamento, que qualificou como "absurdo", "exótico", "fora da curva", entro outros adjetivos, o departamento jurídico do Grêmio entrou com pedido de efeito suspensivo no final da manhã desta sexta-feira. O auditor Otávio Noronha foi sorteado para ser o relator do processo no Pleno do STJD e poucas horas depois aceitou o pedido.
– Com a decisão, a pena aplicada pela Comissão Disciplinar fica suspensa até que o recurso seja julgado e concluído no Pleno, última instância nacional. Ainda não há dará prevista para o julgamento – diz trecho da nota publicada no site do STJD.
 O Grêmio, claro, comemorou a vitória jurídica. Acompanhando a delegação em gremista em São Paulo para o jogo desta quinta-feira contra o Tricolor paulista, no Morumbi, o presidente Romildo Bolzan Júnior disse que o efeito suspensivo corrigiu uma situação de "injustiça".
– Foi corrigido um equívoco jurídico, e o duplo grau existe exatamente para isso, para fazer essa correção do que está equivocado. De certa forma, o STJD recompôs uma situação de absoluta injustiça que estava sendo criada – declarou ao GloboEsporte.com.  
Na sede do STJD, no Rio de Janeiro, o advogado do Grêmio Gabriel Vieira admitiu que o clube foi pego de surpresa com o resultado do julgamento de quarta-feira. Mas disse que agora o Grêmio tem garantia de que jogará a final diante de sua torcida.
– Foi uma noite tensa. Agora achamos que a decisão foi justa, o relator analisou a matéria da forma como queríamos. Acho que temos argumentos suficientes. Temos a segurança de que o segundo jogo da final será realizado na Arena – afirmou Vieira.
Como os julgamentos no Pleno do STJD ocorrem apenas duas vezes por semana, o Grêmio acredita que o seu processo não será analisado antes do dia 30. Assim, deve decidir o título contra o Atlético-MG em casa mediante efeito suspensivo. Nesse caso, na hipótese de o Pleno manter a pena do 1ª julgamento, a punição seria cumprida apenas em 2017.
Se, ao menos por enquanto, a dúvida sobre o local do segundo jogo da decisão entre Grêmio e Atlético-MG está desfeita, ela ainda permanece em relação ao primeiro jogo, na próximo quarta-feira, dia 23. Isso porque o Galo ainda não definiu se jogará no Independência ou no Mineirão.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário