sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Oposição quer impeachment de Temer e Gleisi propõe renúncia



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: G1 Imagem: Alessandro Dantas (PT no Senado)


Durante a sessão não deliberativa desta sexta-feira (25), presidida pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), a oposição do Senado anunciou que vai protocolar um pedido de impeachment do presidente Michel Temer na próxima segunda-feira, (28), na Câmara Federal.
Gleisi aproveitou para repercutir o caso envolvendo o suposto tráfico de influência de Temer e de seu então ministro Geddel Vieira Lima em um empreendimento imobiliário na Bahia. No plenário, a senadora propôs que Temer renuncie do cargo e convoque eleições diretas.
De acordo com Gleisi, a denúncia do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero é um caso grave por se tratar de tráfico de influência e advocacia administrativa. Para ela, o Planalto e a Casa Civil não poderiam intervir em interesses privados. “É uma situação muito grave. O que o presidente estava fazendo era tráfico de influência, advocacia administrativa a favor de interesse privado. Disse seu porta-voz que aquilo era mediação de conflito entre ministérios, o que se dá na discussão de políticas públicas, mas não pode se dar em relação a interesses particulares”, declarou.
A paranaense também discursou sobre o pedido de impeachment de Temer protocolado pelo senador Lindbergh Farias (PT-RJ). Porém, para evitar o desgaste da sociedade com um novo processo de afastamento, a petista declarou que o presidente deveria compensar sua “pequenez” pedindo a renúncia de seu mandado. “Ontem eu fui deitar e pensei: ‘bem feito que isso aconteceu’. A justiça veio à cavalo”, declarou. “O problema disso tudo é o sofrimento que vai causar ao povo brasileiro. Essa crise ólítica não para. Nós estamos com serviços precários por conta de cortes orçamentários…”, concluiu. 
PEC do Teto dos Gastos
Para Gleisi Hoffmann, a denúncia feita por Calero agravou a crise política e tornou inviável a votação da PEC do Teto de Gastos, prevista para a próxima terça-feira (29). Além de considerar que o governo federal não estaria em condição de pedir a votação da matéria, a senadora reafirmou sua convicção de que a proposta retira direitos e garantias constitucionais.


 Aécio e FHC criticam Calero por ter gravado conversa com Temer.




OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário