segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Governo estuda usar FGTS como garantia para o crédito consignado



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: G1 Imagem: Divulgação


Uma medida está rendendo muita discussão. O governo estuda usar o FGTS do trabalhador como garantia no crédito consignado.
Agora, a pergunta que fica é: já que os bancos vão ter essa garantia do FGTS, vão baixar também os juros do crédito consignado para o trabalhador?
O assunto ainda não está decidido, mas os economistas avisam desde já: se os juros não ficarem baixos para o trabalhador, além de não valer a pena, essa proposta vai desvirtuar a ideia do FGTS, que é uma garantia para quem perde o emprego e precisa de fôlego enquanto tenta uma nova vaga no mercado de trabalho.
Quase R$ 124 bilhões. Esse foi o valor que os bancos emprestaram a trabalhadores, aposentados e pensionistas até novembro do ano passado, via crédito consignado. Aquele empréstimo com desconto em folha de pagamento e juros mais baixos, 28,4% ao ano, em média, enquanto as outras linhas de financiamento cobram 120%, em média.
O aposentado Geraldo Livramento fez um consignado para se livrar de outra dívida: a do cartão de crédito. “Vale a pena porque senão você se afunda cada vez mais, o cartão só aumenta dia a dia’, diz ele.
Os juros do consignado são mais baixos, mas não são iguais para todo mundo. O servidor público paga uma taxa menor, de 26% ao ano, em média. Já o trabalhador da iniciativa privada paga quase 42% de juros ao ano. O que explica essa diferença é a estabilidade no emprego. Os bancos cobram menos do servidor porque sabem que ele deve quitar todas as prestações da dívida. Já na iniciativa privada o risco de calote é maior porque o trabalhador pode ser demitido a qualquer hora.
Com o aumento do desemprego, os bancos decidiram procurar o governo para propor que o saldo do FGTS seja usado como garantia de pagamento. A ideia é que o trabalhador possa usar aquela multa de 40% sobre o saldo do FGTS que ele recebe quando é demitido sem justa causa e assim garantir que todas as prestações serão quitadas, mesmo se ele perder o emprego.
Na sexta-feira (22), o ministro da Fazenda confirmou que o governo está estudando a proposta. Disse que essa garantia poderia ser uma forma de diminuir a taxa de juros paga hoje pelos trabalhadores do setor privado.
“É você poder usar a sua conta do FGTS também como uma garantia para o crédito consignado. É uma proposta que já apareceu por algumas instituições financeiras e a gente está analisando, não há uma decisão sobre isso ainda”, afirma Nelson Barbosa, Ministro da Fazenda.
O planejador financeiro Leandro Gomes diz que a proposta pode ser interessante para o trabalhador desde que isso não sirva como estímulo ao endividamento e se os juros realmente caírem para algo em torno de 2% ao mês, que é a taxa paga hoje pelo servidor público.  “Se a gente tiver falando em uma redução muito pequena de taxa de juros, não vale a pena. O FGTS é algo que você tem que utilizar em caso de emergência. Para você poder se realocar no mercado, arcar com custos. Então, você, de certo modo, separar uma fatia disso para designar para o empréstimo consignado pode também atrapalhar o seu orçamento quando você mais precisar desse dinheiro”, explica.
Hoje, dá para usar o FGTS em algumas situações: na compra de imóvel, reforma, e para ajudar no tratamento de algumas doenças.

OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário