sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Prudentópolis recebe investimentos para acabar com falta de água



By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Fernanda Santos (Rádio Najuá) Imagem: Élio Kohut (Intervalo da Noticias/Rádio Najuá)

 Na tarde da quinta-feira (15), foi assinada, na prefeitura de Prudentópolis, a ordem de serviço para ampliação do sistema de abastecimento de água. A obra, que custará cerca de R$ 4 milhões, vai beneficiar a população, com água tratada e melhorias no serviço de saneamento básico.
Uma das notícias mais esperadas pela população local foi oficializada: a cidade, que é conhecida pela sua abundância em água pelas grandes cachoeiras, não terá mais problemas com falta de água, que era uma das maiores reivindicações da população. O prefeito, Gilvan Pizzano Agibert, conta que é com muita alegria que a administração pública ajuda a resolver esse problema. “Estávamos lutando por esse momento, porque víamos e sentíamos o sofrimento da comunidade. E, por esse motivo, é com satisfação que iniciamos uma das conquistas mais importantes”. Com isso, Agibert acredita que os prudentopolitanos terão qualidade de vida melhor, com a água limpa.
De acordo com o diretor-presidente da Sanepar, Fernando Eugênio Ghignone, a obra vai aumentar a capacidade de reserva em 100 mil litros. “Isso fará com que 30 mil pessoas sejam beneficiadas. Estamos ampliando a rede de distribuição e a estação de tratamento de esgoto. Prudentópolis terá uma sobrevida de 25 anos sem falta da água”, garante Ghognone.
Com a prioridade de fornecer qualidade na água para todo o Paraná, o diretor comenta que, para a Sanepar, antecipar essa obra de 2016 para 2013, é muito significativo. “Prudentópolis era uma das cidades que mais sofria com falta de água e, agora, estamos corrigindo os erros do passado. Toda a rede antiga está sendo substituída”.
O presidente da Câmara de Vereadores, Júlio Makuch, diz que as obras, que já iniciaram, contam com duas elevatórias, que vão melhorar e possibilitar a ampliação da coleta. “Teremos uma nova estação de tratamento de água nas proximidades do Colégio Nosso Futuro, que irá garantir o abastecimento para a população do alto do município, e aumentar as redes de esgoto”.
Quem também participou do ato oficial foi o deputado estadual, Ademar Traiano, que também disse ter acompanhado as reclamações da população. “Não aconteciam investimentos nessa área pelo governo estadual por 15 anos. E, o governador Beto Richa, priorizou Prudentópolis, antecipando esses recursos”. Traiano lembra que com os R$ 4 milhões na obra, a falta de água será sanada.
Problema crônico (Texto Rodrigo Zub)
A falta de água se tornou rotina em Prudentópolis. As partes altas da cidade são os locais mais prejudicados. Em agosto de 2011, a reportagem da Najuá, esteve visitando alguns bairros e constatou que alguns moradores ficavam até quatro dias consecutivos sem água. “Falta água nos tempos de chuva e não é pouco, às vezes dois, três dias. Muita gente das vilas mais altas fica sem água e puxa água de vertentes e nascentes. Porque não tem água nem pra tomar banho, lavar louça, às vezes não tem água nem pra lavar o rosto quando levanta de manhã”, relatou o morador da Vila Esperança, Estanislaw Alachim.
Outros bairros afetados são o Jardim Habitar Brasil, Vila Iguaçu, loteamento Maringá, Jardim Independência, Pousinhos e Vida Luz. Dependendo do dia a água só chega de madrugada e em alguns casos, a quantidade é insuficiente. “Fica difícil para a gente entender e faz tempo que acontece essas coisas e ninguém toma providência. Então queria saber por que ninguém faz nada para melhorar a situação”, questionou Alachim.
A saída encontrada por algumas pessoas é recorrer a pequenas fontes. Entrevistado pela equipe da Najuá em 2011, o morador da Vila Esperança, José Smaha, mostrou que utilizava uma pequena bica, há 200m de sua residência, para obter água para cozinhar, lavar roupa e para as necessidades básicas. Na oportunidade, Smaha afirmou que a solução gerava muitos transtornos, principalmente para pessoas que precisam transportar a água em carrinhos de mão ou baldes. “É difícil ficar subindo, descendo, eu que tenho problemas de saúde, é muito difícil, mas graças a Deus temos um socorro que é aquela água na bica”.
A falta de água causou até a suspensão das aulas da rede pública de ensino de Prudentópolis.
Confira as entrevista com repórter Élio Kohut com a Rádio Najuá:
Diretor-presidente Fernando Eugênio Ghignone

Prefeito Gilvan Agibert
 

Deputado Ademar Traiano

Vereador Julio Makuch


OS COMENTÁRIOS NÃO SÃO DE RESPONSABILIDADES DO INTERVALO DA NOTICIAS. OS COMENTÁRIOS IRÃO PARA ANALISE E SÓ SERÃO PUBLICADOS SE TIVEREM OS NOMES COMPLETOS.
FOTOS PODERÃO SER USADAS MEDIANTE AUTORIZAÇÃO OU CITAR A FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário