terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

PODERÁ TER PLEBISICITO SOBRE O HORARIO DE VERÃO

Os 11 estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além da Bahia e Distrito Federal, economizaram em 133 dias do horário de verão o equivalente a 8% do consumo mensal de energia da cidade do Rio de Janeiro. O horário especial iniciou em 16 de outubro do ano passado e terminou sábado à meia-noite. De acordo com o Operador Nacional do Sistema, órgão que administra o sistema de energia elétrica do País, além da economia de R$ 160 milhões na geração de energia térmica para suprir a demanda, o maior ganho é no aumento da segurança e a diminuição dos custos de operação. A segurança aumenta porque diminuem os momentos de sobrecarga na rede de transmissão e a manutenção pode contar com horários mais flexíveis. O horário de verão visa basicamente evitar que a iluminação seja acionada quando ainda é alto o consumo de energia do comércio e da indústria. Mas apesar desses argumentos e de existir desde a década de 30, o horário de verão ainda é polêmico. Os adversários argumentam que ele causa transtornos de saúde e segurança pública em troca de economia mínima. Para solver essa polêmica, o deputado João Campos, do PSDB de Goiás, apresentou proposta (PLC 541/11) de realização de um plebiscito para que a população possa escolher se quer ou não o horário de verão. Ele defende que seja feito um amplo debate com especialistas do setor. O deputado acredita que pode haver alternativas à mudança de horário. "Há informações de que nós não temos problemas de energia. Nós temos um problema de distribuição. Então, de fato, se houver um pouco mais de investimento nas linhas de transmissão, esse risco de pico aqui e acolá estará eliminado." A proposta de realização de um plebiscito para que a população decida se quer ou não o horário de verão será analisada pelas comissões de Ciência e Tecnologia, de Finanças e Tributação, e de Constituição e Justiça. Se aprovada, vai à votação pelo Plenário da Câmara.

By: INTERVALO DA NOTICIAS
Texto: Vania Alves (Radio Câmara) Imagem: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário